UNIFEBE oportuniza visita na Villa Renaux à escola de Brusque

Os estudantes do Ensino Médio Inovador, da Escola Yvonne Olinger Appel, tiveram a oportunidade de, na tarde de terça-feira, 3 de julho, conhecer a Villa Renaux e a trajetória histórica de um dos homens mais importantes de Brusque e também do Brasil – o Cônsul Carlos Renaux, que chegou ao Brasil em 1882 e que em 1892 fundou as Indústrias Renaux. A visita foi promovida pela UNIFEBE, que desde 2017 realiza pesquisas no local e contribui com a preservação do patrimônio cultural.

A atividade vai de encontro com o Projeto Interdisciplinar Valores – Histórias e Memórias, desenvolvido na escola, que tem o objetivo de apresentar aos alunos o contexto histórico da colonização e instalação das indústrias têxteis em Brusque e as transformações ocorridas a partir desse momento.

Além dos cerca de 40 estudantes, participaram da visita os professores da Escola Yvonne Olinger Appel — Lilian Cristina Podgurski, Leila Puel e Marlon Miranda. Para Lilian, que é educadora educacional, a visita desperta nos adolescentes o senso de valorização da história de Brusque.

— Foi extremamente enriquecedor a forma como a professora que guiou a visita repassou a história do Cônsul, desde o seu nascimento até o processo de industrialização das fábricas. Esse momento vem de encontro ao nosso projeto, pois quanto mais você conhece a sua própria história, mais você valoriza a si mesmo e aos outros — enfatiza a educadora.

A estudante Alice Rúbia de Souza, 16, destaca que foi um privilégio conhecer a Villa Renaux e saber sobre a trajetória do Cônsul, que foi uma personalidade histórica.

Ana Beatriz Herber, 16, conta que os lustres do teto da casa chamaram sua atenção pela arquitetura diferenciada.

— Não imaginava que fosse uma casa tão bonita e tão grande. Ela está muito bem conservada depois de tanto tempo. Também achei interessante a frase que o Cônsul disse antes de falecer “a minha hora chegou” — salienta a aluna.

Senso de pertencimento

A assessora da Pró-reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão (Proppex) e coordenadora da editora UNIFEBE, Rosemari Glatz, é pesquisadora e responsável pelas atividades da UNIFEBE na Villa Renaux. Foi ela que guiou a visita na casa, mausoléu e jardins e contou detalhes da história do cônsul Carlos Renaux aos estudantes. A Escola Yvonne Olinger Appel é a terceira instituição a visitar o local neste ano.

Rosemari enfatiza que é indispensável disseminar esse conhecimento aos alunos e mostrar que a história tem um começo, meio e fim. Conforme ela, o cônsul se tornou um dos homens mais importantes da época, com grande influência política e econômica, mas é preciso contextualizar que ele teve uma família, estudou, trabalhou e responsabilizou-se socialmente.

— É necessário despertar o senso de pertencimento nesses adolescentes, pois, uma vez que se conhece o seu meio, se pertence mais a esse meio. Nos orgulha fazermos esse trabalho, pois acreditamos que esse aluno chegará em casa e poderá contribuir para mudar a realidade da sua família. Ele vai lembrar que conheceu a história de alguém que cruzou o oceano, chegou numa terra estranha e fez uma linda história, da qual as nossas famílias também se beneficiaram — destaca a pesquisadora.

Rosemari ainda enfatiza que a Villa Renaux deve servir de inspiração, já que é um espaço conservado e que está intacto com mais de 80 anos de construção.

— A casa serve como exemplo para a preservação e recuperação de outros imóveis da região que também contam a nossa história e que, dia após dia, estão sendo colocados abaixo. É a nossa história, a nossa identidade sendo destruída — pontua.

Saiba mais

No último dia 30 de junho, os acadêmicos do Programa de Educação Superior para o Desenvolvimento Regional (PROESDE), da UNIFEBE, também realizaram uma visita de estudos na Villa Renaux com o objetivo de compreender a relação entre aspectos da trajetória de vida do Cônsul Carlos Renaux com o Desenvolvimento econômico de Santa Catarina.

Instituições de ensino que desejam realizar visitas de estudo no local podem entrar em contato com a UNIFEBE pelo telefone 3211-7207, que, mediante agendamento, poderão fazer visita guiada no local.

Deixe sua opinião