TENTOU DAR O GOLPE E FOI GOLPEADO

Ele tem cara de bravo, jeito de mau, mas não conseguiu meter medo no Ministério Público. Muito pelo contrário, foi o MP que apertou o cerco e está obrigando Roberto Pedro Prudêncio Neto (PSD) a pagar o que deve ao governo do estado.
Dívidas que chegam a R$ 113 mil reais, acumuladas pela falta de recolhimento de ICMS – Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços, referente aos meses abril, junho e julho do ano de 2014 e de maio, julho, agosto e dezembro do ano de 2013.
O Ministério Público de Itajaí e Brusque não estão dando folga para a empresa de Exportação e Importação do prefeito interino de Brusque, que por duas vezes já parcelou a dívida e não honrou o compromisso. Agora, Roberto Pedro Prudêncio Neto, pode parcelar a dívida em até 48 vezes, mas para suspender o processo terá que liquidar a dívida com o Fisco do Estado.
Enquanto a dívida não for quitada, o prefeito interino de Brusque, Roberto Pedro Prudêncio Neto não poderá se ausentar da cidade por mais de 30 dias sem a autorização do Juiz da Comarca, além de se apresentar a cada dois meses para a justiça.

Se ele administra o próprio dinheiro desta forma, como não estará administrando o bem público? Lamentável.

Deixe sua opinião