Sumo sacerdote Neftali será o papel de Francisco Cuoco em “Paixão e Morte de um Homem Livre”

Francisco Cuoco vai viver o sumo sacerdote Neftali que julga Jesus no espetáculo “Paixão e Morte de um Homem Livre”, dias 13 e 14 de abril, no pátio da Igreja São Cristovão, no Aymoré, em Guabiruba. Em 62 anos de carreira, Cuoco atuou em 27 peças de teatro, 10 filmes e 57 telenovelas, incluindo “Selva de Pedra” (1972). Estreou na televisão em 1955, atua na Rede Globo desde 1970. Atualmente, interpreta Gaetano De Angeli na telenovela “Sol Nascente”

Segundo o presidente da Associação Artístico Cultural São Pedro (AACSP), produtora do espetáculo, Marcelo do Nascimento lembrou que haverá outros 350 atores (voluntários) em cena. “A cada edição, o espetáculo vai tomando uma dimensão maior, está mais presente na mídia e desperta o interesse e a curiosidade nas pessoas. O que move tudo isso são centenas de voluntários que se comovem por fazer parte de algo tão belo que é a história de paixão, morte e ressurreição de Jesus”, afirma Nascimento.

Os custos de contratação de Francisco Cuoco, bem como a maioria das despesas do espetáculo estão amparados pelos patrocinadores, através da Lei Rouanet de incentivo à cultura. Nesta edição patrocinam o projeto as empresas Guabifios, Archer, McJu e ZM. Há ainda o apoio da Prefeitura de Guabiruba. O valor da contratação de Cuoco não foi revelado. O diretor artístico do projeto, Marcelo Carminatti, conta que as famílias dos sacerdotes eram provenientes de quatro castas, bastante ricas e influentes. O sumo sacerdote Neftali, mais velho e sábio, pertencia a uma destas castas e se sentia ofendido pelas palavras de Jesus.

“Cristo, com suas respostas inteligentes, muitas vezes ridicularizava os sacerdotes, que lhe faziam perguntas dúbias. Uma destas perguntas era sobre o pagamento de impostos. Jesus disse: dai a Cesar o que é de Cesar e a Deus o que é de Deus. Assim ele não ofendia nem os judeus e nem os romanos. Os sacerdotes, por sua vez, ficavam sem graça. Neftali não concordava com as atitudes de Jesus e estava disposto a exterminá-lo”, concluiu Carminatti.

Deixe sua opinião