Sintrivest empossa nova diretoria

Ato público e Frente Catarinense Contra as Reformas Trabalhista e Previdenciária foram temas dos discursos

Em seu discurso, o presidente da Fetiesc, Idemar Antônio Martini, convidou os dirigentes sindicais para integrar a Frente Catarinense Contra as Reformas Trabalhista e Previdenciária

 

Para a presidente do Sintrivest, Marli Leandro, esta nova diretoria do Sindicato assume a entidade em um período conturbado da história brasileira e a palavra de ordem é o enfrentamento

Foi realizada na noite de sexta-feira, 10 de março, na sede do Sindicado dos Trabalhadores nas Indústrias do Vestuário de Brusque e Guabiruba (Sintrivest), a solenidade de posse da nova diretoria da entidade, que assume a gestão 2017/2021. A eleição aconteceu em maio do ano passado, quando a chapa “Compromisso e Continuidade” alcançou 92,57% de aprovação, o equivalente a 3.044 votos válidos.

“Nosso trabalho inicia com luta, por conta do que se vive hoje no Brasil, especialmente pelas propostas das Reformas Trabalhista e Previdenciária. Temos a certeza de que será um mandato de muita luta e de enfrentamento, seja no local de trabalho, diante das pressões sofridas, humilhações e assédio moral, ou no cenário nacional, defendendo as bandeiras históricas da classe trabalhadora e do movimento sindical. É com garra que este novo grupo assume o mandato pelos próximos cinco anos”, afirma a presidente eleita, Marli Leandro.

Segundo ela, a principal preocupação neste momento está relacionada às Reformas, já que a aprovação será um retrocesso, pois diminui benefícios alcançados no decorrer dos anos. “Qual legado vamos deixar para as futuras gerações? Para os nossos filhos e netos? Nós, com certeza, recebemos um legado de muitos outros trabalhadores e dirigentes sindicais ao longo da nossa história. Alguns até morreram por esta luta. Qual legado pretendemos deixar para a sociedade como um todo?”, questiona Marli.

Ato público

Na próxima quarta-feira, 15 de março, a partir das 16h, na Praça Gilberto Colzani (ao lado do Terminal Urbano) será realizado um Ato Público para manifestar a contrariedade dos trabalhadores e da comunidade em geral às Reformas Trabalhista e da Previdência. O evento foi planejado durante a programação alusiva ao Dia Internacional da Mulher, que aconteceu na última semana, no auditório do Sintrivest e ganhou força com o apoio do Fórum Sindical de Trabalhadores de Brusque e Região.

“Partiu das mulheres este desejo de ocupar as ruas e de lutar para não se perder direitos. No dia 15 de março nós vamos nos engajar a todos os atos públicos que acontecerão em cada canto deste país, contra o retrocesso proposto pelas Reformas. Não podemos aceitar o que nos foi apresentado e não temos alternativa, senão reagir”, observa Marli.

Frente Catarinense

O presidente da Federação dos Trabalhadores nas Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fetiesc), Idemar Antônio Martini, participou da solenidade de posse da nova diretoria do Sintrivest. Durante seu pronunciamento, ele deu boas-vindas aos novos dirigentes sindicais, mas, também, falou sobre o teor que integra o documento das Reformas.

“São pretextos para tirar o direito dos trabalhadores, como se nós fossemos culpados pela crise e por toda esta ladroeira no país. Para esconder uma sujeira maior, eles falam da necessidade de Reformas, cujo prejuízo será do trabalhador”, avalia Martini.

De acordo com o presidente da Fetiesc, há duas semanas foi instituída a Frente Catarinense Contra as Reformas Trabalhista e Previdenciária. O evento, realizado em Itapema, reuniu 55 entidades sindicais e 169 dirigentes. “Nosso trabalho é conscientizar a sociedade para que estude, participe e entenda quantas mentiras existem por trás de tudo isso. Nossa responsabilidade é de coordenar os trabalhadores para que nos ajudem nesta luta e na construção de um país onde haja oportunidade para todos e onde seja possível usufruir dos bens que produzimos”, enfatiza.

Martini conta que já está marcado para o dia 3 de abril, na Assembleia Legislativa de Santa Catarina, um encontro com todos os deputados federais e senadores que representam o Estado em Brasília. “Queremos saber o posicionamento de cada um. Independente do partido político, quem votar a favor do Governo, estará votando contra os brasileiros”, adverte o presidente da Fetiesc.

Deixe sua opinião