Revisão do eleitorado acaba em um mês em cinco cidades

Falta um mês para o fim da revisão do eleitorado em cinco cidades de Santa Catarina: Braço do Trombudo, Garuva, Imaruí, Itapoá e Trombudo Central. Os eleitores desses municípios têm até o dia 27 de outubro para comparecer obrigatoriamente no cartório eleitoral ou posto de atendimento da sua Zona Eleitoral e realizar o cadastramento biométrico.

Até o momento, os municípios têm a seguinte porcentagem de comparecimento do eleitorado: Garuva (82%), Trombudo Central (62,9%), Braço do Trombudo (62,8%), Imaruí (60,1%) e Itapoá (42,2%).

Para fazer a biometria, o eleitor deve agendar o seu atendimento por meio do site do TRE-SC e comparecer no cartório portando documento de identificação com foto, comprovante de residência recente e comprovante de alistamento militar – no caso de homens maiores de 18 anos que vão fazer o primeiro título.

Cidades com baixo índice de comparecimento

Entre as cidades com revisão do eleitorado obrigatória e menores índices de comparecimento dos eleitores estão: Penha (27,3%), Balneário Piçarras (33,6%), Itajaí (44,2%), Brusque (47,7%) e Balneário Camboriú (46,6%).

O prazo nesses municípios é até 7 de dezembro, porém, o atual comparecimento baixo é capaz de acarretar em uma alta procura nos dias finais da revisão, quando os cartórios eleitorais poderão estar sem agendamento disponível, devido à demanda acumulada. Por isso, a Justiça Eleitoral recomenda que os eleitores dessas cidades realizem o cadastramento biométrico o mais rápido possível.

Itajaí, por exemplo, tem capacidade para realizar o cadastramento biométrico em 1.371 pessoas por dia nos seus quatro locais de atendimento, no entanto, tem atendido em média 900 pessoas por dia.

O eleitor que não se apresentar poderá ter seu título eleitoral e CPF cancelados e não poderá votar nas próximas eleições. Além disso, não votar nem justificar ausência pode resultar em uma série de restrições, como a impossibilidade de obter a certidão de quitação eleitoral, renovar passaporte e tomar posse em cargo público.

Deixe sua opinião