Residência Médica promove aprimoramento de serviços para a comunidade

Desde sua implantação em março deste ano, o Programa de Residência Médica da UNIFEBE no Hospital Arquidiocesano Cônsul Carlos Renaux – Hospital Azambuja, tem proporcionado mais benefícios para a comunidade de Brusque e região.

O aprimoramento de serviços, o estabelecimento de condutas mais atualizadas e atenção personalizada aos pacientes são algumas das melhorias comprovadas com o programa.

O supervisor da Residência Médica, doutor Antônio de Pádua Santos Lanna, explica que a partir da necessidade de promover melhoria no atendimento e também organizar o serviço para dar condições de receber o Programa de Residência, a Clínica Médica foi reformulada.

Desta maneira, passou-se a contar com cinco internistas (antes eram dois), foi disponibilizado um plantão presencial das 7h às 19h para as intercorrências, e semanalmente também são realizadas discussões a respeito dos casos clínicos, discussão radiológica e encontro multiprofissional.

Além disso, com o aumento das internações nos últimos anos no Hospital Azambuja, o Programa ganhou um papel social ainda mais fundamental.  Para se ter uma ideia, em 2016 eram 2.065 e uma média de 171 internações por mês, em 2017 foram 2.143 com uma média de 178, e de janeiro a setembro deste ano foram contabilizadas 1.738 internações com uma média de 193 internações por mês.

Lanna destaca que o Programa proporciona benefícios de várias ordens para os pacientes, hospital, UNIFEBE e para a comunidade. Ele explica que as especialidades de Pneumologia e Gastroenterologia foram inseridas no cuidado com o paciente, além de aproveitar de maneira mais efetiva a Infectologia e a Hematologia (antes só existiam nos serviços da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) e Agência Transfusional).

E a partir de 2019, segundo Lanna, serão instaurados os ambulatórios de Nefrologia e Pneumologia dos pacientes que saem do hospital.

— A função do residente dentro da unidade hospitalar é adquirir conhecimentos práticos e teóricos e habilidades em determinada área. Ao mesmo tempo, ele desenvolve um importante papel de “provocador” do corpo clínico e da instituição, uma vez que exige um desempenho cada vez melhor de toda a equipe para responder sua demanda em busca de melhores resultados e conhecimento — ressalta.

O programa

A Residência em Clínica Médica da UNIFEBE teve início em março deste ano no Hospital Azambuja, que é parceiro do projeto. O lançamento foi realizado em agosto de 2016, com a posse da Comissão de Residência Médica – COREME, coordenada pelo médico doutor Charles Machado.

Foram 28 inscritos para a especialização em Clínica Médica, sendo três aprovados: Felipe Cadore Klabunde, Samara Paula Parmeggiani e Tamires Soares Hoffmann.

A Residência Médica é uma modalidade de ensino de pós-graduação lato sensu, destinada a médicos, caracterizada por treinamento em serviço, em conformidade com as áreas definidas pelo Ministério da Educação (MEC) e a legislação vigente. Tem como finalidade o aperfeiçoamento da formação médica e funciona em instituições de saúde, universitárias ou não, sob a coordenação acadêmica da UNIFEBE e orientação de profissionais médicos de elevada qualificação ética e profissional.

Durante a especialização, os residentes acompanham estágios diferentes que compreendem a parte da enfermaria de Clínica Médica, as subespecialidades de Pneumologia, Gastroenterologia, Cardiologia e Nefrologia, Unidade de Terapia Intensiva e a parte de Atenção Básica e Estratégia de Saúde da Família, na Unidade de Saúde do bairro Águas Claras.

Deixe sua opinião