Reforma da previdência

Dirceu Dresch (PT) acusou o presidente Michel Temer de ter celebrado um acordo com o sistema financeiro nacional e internacional para reformar a previdência. “Querem entregar a previdência pública para a iniciativa privada, faz parte do acordo com o sistema que quer pegar o bolo da previdência para ganhar muito dinheiro”, insistiu Dresch.

Para o deputado, os trabalhadores rurais não terão condições de trabalhar até os 65 anos. “Este parlamento precisa se posicionar, assumir responsabilidades”, avaliou o parlamentar, que sugeriu pressionar os deputados federais. “Eu levei a campanha de dois deles, do Pedro Uczai (PT) e do Décio Lima  (PT), temos de cobrar deles, a reforma tem de ser barrada a qualquer custo”, frisou.

Segundo Maurício Eskudlark (PR), o Brasil está unido contra a reforma da previdência. “E uma proposta não discutida e não debatida, atinge de forma violenta o trabalhador. O Conselho Nacional dos Direitos Humanos recomendou ao presidente República a retirada do projeto e ao presidente da Câmara que suspenda a tramitação”, noticiou Eskudlark, acrescentando que no caso do policial a expectativa de vida é de 59 anos, enquanto a idade mínima para se aposentar seria de 65 anos.

Deixe sua opinião