PROTESTO DOS CEBOLEIROS

Produtores de cebola entregam reivindicações a gerentes do Banco do Brasil

Produtores de cebola de Santa Catarina entregaram na manhã desta terça-feira (7), documento oficial com as principais reivindicações da categoria aos gerentes das Agências do Banco do Brasil de oito municípios do Alto Vale do Itajaí. A entrega ocorreu após a mobilização que reuniu centenas de produtores em todos os municípios. A decisão agora deverá ser levada para a esfera federal.

Entre as principais preocupações dos produtores de cebola estão os financiamentos de crédito rural da safra 2016/2017 que vencem 90 dias após a colheita. “Queremos a prorrogação desses prazos sem perder o direito de nova operação de crédito na próxima safra”, explica o presidente do Sindicato Rural de Ituporanga, Arny Mohr.

Outra pauta de debate da categoria foi a desleal concorrência instalada no País com a importação do produto da Holanda. “Tivemos uma super safra com 580 mil toneladas em uma área cultivada de 21 mil hectares, isso fez com que os preços praticados no mercado caíssem chegando a R$ 0,50, quando o custo de produção é de R$ 0,70”, alerta Mohr.

No documento entregue aos gerentes das agências também consta a solicitação da tributação da cebola importada e o aumento do preço de garantia do programa de agricultura familiar de R$ 5 mil para R$ 10 mil. “Sabemos que essa é uma decisão que depende de uma aprovação federal e por isso contamos com o apoio das entidades representativas do agronegócio e do poder público local e estadual”, afirma o secretário executivo do Sindicato Rural de Ituporanga, Pedro Adriano Damann.

Estiveram engajados nas manifestações os Sindicatos Rurais dos municípios de Ituporanga, Aurora, Atalanta, Petrolândia, Alfredo Wagner, Imbuia, Leoberto Leal e Vidal Ramos na região do Alto Vale do Itajaí e, também, Irineópolis, na região norte catarinense. O movimento conta com o apoio da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc), Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetaesc) e Associação de Produtores de Cebola de Santa Catarina (Aprocesc).

As manifestações tiveram apoio da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (FAESC), da Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetaesc) e da Associação de Produtores de Cebola de Santa Catarina (Aprocesc).

Deixe sua opinião