PROPRIETÁRIO DA MÚLTIPLOS CONTA EM ENTREVISTA EXCLUSIVA, DETALHES SOBRE ACUSAÇÕES.

Everson Clemente, proprietário da empresa Múltiplos concedeu ao JORNAL EM FOCO , uma entrevista exclusiva e conta detalhes sobre as acusações que vem recebendo.

 

JORNAL EM FOCO–  Como você vê as denúncias contra você?

EVERSON –  Primeiramente gostaria de agradecer a oportunidade. Nenhum outro meio de comunicação me procurou para tratar do assunto apesar de publicarem que não fui encontrado. O Ministério Público tem o DEVER de analisar e investigar denúncias e não tenho oposição a isso. São inúmeros casos por todo o Brasil, alguns são arquivados, outros investigados e ocorrem condenações e outros não. E o dever do MP agir, temos que respeitar.

JORNAL EM FOCO – O Senhor parece então não se importar com toda essa exposição.

EVERSON– São dois aspectos diferentes, o primeiro é  concordar que o MP tem que cumprir seu dever de investigar, acusar, etc. Outro caso e a exposição nos meios de comunicação, e esse eu não concordo.

JORNAL EM FOCO – Poderia ser mais claro?

EVERSON- Sem querer ofender, alguns meios de comunicação utilizam-se de subterfúgios legais para promover a venda do seu produto, sem analisar as matérias que recebem para divulgação, aproveitando-se da Lei da Proteção à Informação. Exemplo: No texto, na matéria escrita, é reproduzido o que o MP alega, aquilo que o MP CONCLUIU. Ocorre que a conclusão do MP nem sempre é o resultado do processo judicial que ocorrerá, e a conclusão da investigação que pode estar certa ou errada. A conclusão do MP, no meu caso, é  unilateral, não houve defesa da minha parte o que ocorrerá em Juízo. Agora, por outro lado, a ênfase dada a determinados trechos do texto, a chamada, a manchete tendenciona o leitor a um prejulgamento e isso não é  preciso explicar a um meio de comunicação.

JORNAL EM FOCO- O direito de divulgação é legal..

EVERSON- Desculpa interromper…Não sou contra o direito à informação, sou contra a manchetes tendenciosas com intuito único de promoção do meio de comunicação, ambicioso ao ponto de denegrir a imagem de uma pessoa ou empresa, ou partido político, em benefício próprio ou de terceiros. Infelizmente a conclusão do leitor hoje, na grande maioria, e a conclusão publicada. A mídia tornou-se quase uma sentença. Depois que cria-se um pré julgamento popular conseguirá reverter o dano causado, mesmo que a pessoa ao final seja inocentada judicialmente. Atrevo-me a falar ainda que dificulta ao magistrado tomar uma decisão diferente daquela aguardada pela população que não tem conhecimento total dos fatos, do conteúdo do processo, das questões legais… Quantas solturas, quantas decisões tomadas por magistrados já foram criticadas recentemente.

 

JORNAL EM FOCO- Poderia comentar algum fato que o senhor discorde das denúncias efetuadas?

EVERSON-Infelizmente não posso comentar, são tratativas jurídicas e limitadas ao processo. Qualquer informação poderá acarretar prejuízo em minha defesa.

O que poderia comentar são ações encerradas que não são repassadas aos meios de comunicação.Semana passada o MP de Ituporanga arquivou a denúncia efetuada pelo MP de Brusque contra minha pessoa. Deixou claro não haver nenhuma irregularidade no procedimento licitatório, na obra realizada etc. Isso é uma notícia boa a meu favor mas, isso não vende jornal..(risos)  

A tão comentada obra de Botuverá, os 11,25 Km que realizamos com recursos do Fundam Estado de Santa Catarina, aquela denunciada por suspeitas de diversos tipos ..

Vejam só a obra inicialmente foi orçada em R$ 12.324.000,00, foi fiscalizada pela Prefeitura Municipal, por empresa terceirizada contratada pelo Município de Botuverá, e principalmente pelo BRDE, que e quem faz a gestão financeira e a vistoria técnica.

Em 31/07/2017 o BRDE autorizou e a Prefeitura de Botuverá firmou o Termo de Recebimento Definitivo da obra. Lá você encontra o valor final da obra, com todos acréscimos e supressões ocorridas. A obra findou no valor global de R$ 10.144.369,32, ou seja, praticamente 2,2 milhões abaixo do valor orçado ou seja, 18% mais barato que o esperado.

Essa obra foi a mais barata realizada no FUNDAM 01 Infelizmente o que repercutiu na mídia, o que o povo entendeu e que a Múltiplos havia feito um acordão, um rombo nos cofres públicos…que havia aditivado 25% acima do valor previsto Veja, só nesta obra, o Estado economizou mais de dois milhões de reais e sou acusado de que mesmo?.

Peço desculpas por encerrar a entrevista, não quero que essa matéria se torne motivo de réplicas e tréplica.(risos), agradeço a oportunidade e estou sempre a disposição.  

 

Deixe sua opinião