‘Professores serão castigados com reforma da previdência’, diz Luciane Carminatti

Deputada defendeu o magistério durante reunião da Comissão de Educação, Cultura e Desporto da Assembleia Legislativa

Com auditório lotado, a Comissão de Educação, Cultura e Desporto da Assembleia Legislativa se reuniu oficialmente pela primeira vez no ano nesta quarta-feira (15). Nesta primeira reunião, uma série de ofícios e moções foi submetida à análise dos deputados, com destaque para aprovação de audiência pública para debater a exclusão do ensino religioso da Base Nacional Comum Curricular e a reivindicação de melhorias na estrutura dos locais destinados pela Secretaria de Educação para os processos de contratação dos professores ACTs.

A presidente da Comissão, deputada Luciane Carminatti, ressaltou a importância de contar com a comunidade externa para debater os principais temas das três áreas que integram a Comissão. Como prioridade, Luciane defendeu a luta contra a reforma da previdência que atingirá ferozmente os trabalhadores, especialmente os profissionais da educação. “Sem aposentadoria especial, as professoras terão que contribuir por mais 15 anos e os professores por mais 10. Se hoje, muitos enfrentam doenças físicas e psicológicas, entre elas depressão, estresse, problemas vocais, dores crônicas, imaginem as condições com que estarão atuando em sala de aula aos 65 anos. A PEC 287 é uma política de crueldade com o magistério brasileiro”, lamentou.

No encerramento da reunião, o Coordenador Estadual do Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sinte), professor Aldoir Kraemer, foi convidado pela presidente da Comissão a fazer um pronunciamento aos deputados. Aldoir manifestou grande preocupação com a proposta de reforma da previdência e, no âmbito estadual, destacou a luta da categoria para garantir reajustes salariais que não foram cumpridos pelo governo nos últimos anos.

A Comissão de Educação, Cultura e Desporto se reúne quinzenalmente, as quartas-feiras, às 11h e são abertas à população. As entidades interessadas em se manifestar sobre os projetos em discussão podem entrar em contato diretamente com a deputada Luciane, na condição de presidente desta Comissão.

Um espaço aberto de diálogo e debate é o que a parlamentar pretende construir como presidente da Comissão. “Em tempos de grave ameaça de retirada de direitos e de conquistas, é fundamental abrir as portas para que a população entre nos espaços de poder, participe dos debates e faça a sua voz ser ouvida”, defendeu Luciane.

Deixe sua opinião