Processo de pasteurização em cervejas artesanais é tema de Semana Acadêmica na UNIFEBE

O Centro Universitário de Brusque (UNIFEBE) trabalha comprometido com a formação das pessoas, e uma das maneiras de alavancar o conhecimento é integrar a academia com a indústria. Com este objetivo, os estudantes dos cursos de Engenharia de Produção e Engenharia Química realizaram durante a Semana Acadêmica uma ação integrada para resolver problemas reais.

Durante o período, eles visitaram a Zehn Bier, empresa parceira na realização do projeto e exercitaram seus conhecimentos e habilidades para propor soluções. Distribuídos em grupos, foram desafiados a encontrar as melhores práticas relativas ao eixo de engenharia da qualidade cujo tema é “Estudo da eficiência do processo de pasteurização em cervejas artesanais”.

Os acadêmicos contaram com a participação de egressos dos cursos e dos professores do colegiado.

— A empresa parceira oportunizou que os alunos desenvolvessem soluções exequíveis e viáveis economicamente para a implantação de ações. Essa interação – instituição de ensino e empresa -, alavanca significativamente experiência aos futuros engenheiros e vai ao encontro da missão comunitária da UNIFEBE — destaca o coordenador do curso de Engenharia de Produção, Marcelo Merízio.

A coordenadora de Engenharia Química, Daniele Vasconcellos de Oliveira, ressalta que a Semana Acadêmica relaciona teoria e prática e desenvolve importantes competências para que o profissional esteja melhor preparado para enfrentar os desafios do mercado de trabalho.

Diferencial para a formação

O gerente de produção da Zehn Bier, Rafael Viviani e a engenheira química, Silvana Quaresimin, observam com bons olhos a parceria com a UNIFEBE. Eles enfatizam que o setor de Cervejas Artesanais vem crescendo significativamente e que é importante capacitar com mais afinco os profissionais.

— É uma parceria fundamental na parte educacional, pois o estudante tem na prática noções do que aprende na teoria. A indústria cervejeira abrange muitas áreas e envolve tanto a Engenharia de Produção como a Engenharia Química, o que auxilia estes jovens a conhecerem amplamente o processo produtivo — enfatiza.

Egressos do curso de Engenharia de Produção da UNIFEBE, Gabriel Darosci, que atua como programador de produção na Zen S.A e Tiago Rebelo, que atua no Planejamento e Controle de Produção da Irmãos Fischer, ressaltam que a iniciativa do Centro Universitário em integrar egressos com acadêmicos e a indústria é um diferencial para a formação.

— É gratificante poder contribuir com o curso e ver que está cada vez mais integrado com o mercado de trabalho, além de sugerir ideias aos alunos e vivenciar com eles aquilo que é mais desafiador na prática — afirma Darosci.

Para Rebelo, a realização de uma Semana Acadêmica neste formato faz com que os estudantes saiam da zona de conforto, busquem soluções inovadoras e se preparem com mais conhecimentos para enfrentar o dinâmico mercado de trabalho da atualidade.

Bruna Gonçalves, da 9ª fase de Engenharia de Produção, diz que a experiência multidisciplinar agregou muito para sua formação e para a atuação mais completa no “universo da engenharia”. Já para Cíntia Merisio Pedrini, da 5ª fase de Engenharia Química, a atividade foi extremamente importante.

— Com o desafio, não nos prendemos apenas ao conhecimento teórico, mas colocamos em prática conteúdos essenciais. É uma prévia do que nos espera o mercado de trabalho — salienta.

Deixe sua opinião