Prevenção de cheias ganha dois reforços de peso no Vale do Itajaí

Barragens de Ituporanga e de Taió foram sobrelevadas em dois metros, cada, o que aumentou a capacidade de armazenamento de água das chuvas. Estruturas serão inauguradas pelo presidente Michel Temer

Conhecida historicamente pela ocorrência de grandes cheias, a região do Vale receberá duas obras que devem amenizar os danos das fortes chuvas nas cidades banhadas pelos rios da bacia do Rio Itajaí-Açu. No dia 17 de março, o presidente Michel Temer virá a Santa Catarina para inaugurar a sobrelevação em dois metros das barragens de Ituporanga e de Taió e a construção de canais extravasores de água nas duas estruturas.


Praça que receberá o presidente Michel Temer em Ituporanga – Foto: Bianca Backes/Agência Adjori

As melhorias, que custaram, juntas, cerca de R$ 60 milhões, permitirão maior capacidade de armazenamento das águas das chuvas e também de maior gestão das cheias (veja mais detalhes na explicação abaixo do texto), com a construção de novos canais extravasores.

Juntamente com a barragem do município de José Boitex, as represas tornam possível, agora, a gestão de 31% da vasão da água de toda a bacia do Rio Itajaí-Açu. Em outras palavras, as obras se revertem em menos riscos de tragédias naturais para 20% da população do Estado concentrada nos municípios desta região.

“No âmbito estadual, estas obras são parte de uma transformação no modo da Defesa Civil de gerir crises. Queremos, mesmo com as crises, tornar Santa Catarina um Estado que não seja conhecido pela ocorrência de desastres naturais”, destacou o secretário de Defesa Civil do Estado, Rodrigo Moratelli, durante uma visita de vistoria às obras, nesta quinta-feira (2).

Além destas obras, está prevista a construção de pelo menos mais três barragens na região (em Botuverá, em Mirim Doce em Petrolândia) e de obras complementares nas cidades de Rio do Sul, Salto Pilão, Indaial, Blumanau, Gaspar, Ilhota, Itajaí e Navegantes. Enquanto os processos licitatórios para o início dos trabalhos com as represas já estão em fase mais avançada, com possibilidade de início em 2018, as outras melhorias ainda precisam ser discutidas com as comunidades diretamente afetadas por elas.

“Você mexe com muitos atores envolvidos no processo e isso não é algo fácil. As pessoas querem obras, mas não do lado das suas casas”, ponderou Moratelli.

Entre as obras previstas estão melhoramentos fluviais considerados importantes para que a água chegue mais rápido para o oceano, o que diminui o impacto nas cidades banhadas pelos rios (veja mais detalhes abaixo).
Saiba mais sobre as obras que serão inauguradas:

Barragem de Ituporanga 

– Localizada no Rio Itajaí do Sul, a Barragem de Ituporanga está em operação desde 1975
– Foi elevada em dois metros, o que aumentou sua capacidade de armazenamento de água de 93 milhões de metros cúbicos de água para 110 milhões de metros cúbicos de água
– Recebeu um canal extravasor que, juntamente com as comportas, permite que a água da represa seja esvaziada em menos tempo: antes, eram necessários 15 dias para o esvaziamento e agora são precisos apenas sete.

Barragem de Ituporanga – Foto: Bianca Backes/Agência Adjori

Barragem de Taió

– Localizada no Rio Itajaí d’Oeste, a Barragem de Taió está em operação desde 1973
– Foi elevada em dois metros, o que aumentou sua capacidade de armazenamento de água de 83 milhões de metros cúbicos de água para 93,3 milhões de metros cúbicos de água
– Recebeu um canal extravasor que, juntamente com as comportas, permite que a água da represa seja esvaziada em menos tempo: antes, eram necessários 15 dias para o esvaziamento e agora são precisos apenas sete.

Barragem de Taió – Foto: Bianca Backes/Agência Adjori


Barragem de Taió – Foto: Bianca Backes/Agência Adjori

Municípios onde estão previstas construções de novas barragens:

– Botuverá
– Mirim Doce
– Petrolândia

Melhorias previstas para a região do Vale:

Rio do Sul:
Retirada de maciços de pedras do leito do rio
Salto Pilão: construção de um canal com 9 metros de profundidade e com sistema de comportas
Indaial: Derrocamento de pedras do fundo do rio
Blumenau: Construção de túneis extravasores que desviarão a água do rio do centro da cidade
Gaspar: construção de túneis extravasores no bairro Bela Vista
Ilhota: Construção de diques para proteger a cidade
Itajaí e Navegantes: Dragagem de 14,3km de extensão do rio e construção de canal extravasor que tem saída para o mar. Esta obra, se aprovada, “cortará a cidade de Navegantes no meio”, mas reduz a quase zero o risco de cheias em Itajaí.

Deixe sua opinião