Presidentes de entidades falam de suas expectativas quanto a nova administração

Qual a sua avaliação dos resultados das eleições municipais 2016?

ADEMIR JOSÉ PEREIRA – Acredito que o resultado das eleições aconteceu dentro do previsto, pois as pesquisas indicavam que, por mais esforço que os candidatos fizessem, não iriam conseguir mudar a vontade do povo. Outro fator que contribuiu foi a atual situação que está passando nosso país, que clamava por mudanças, indo o povo às ruas pedindo por políticos sérios e éticos, e o Dr. Jonas transmite esta segurança à população.

EVANDRO CARLOS GEVAERD – O Observatório Social de Brusque (OSBr) entende que foi uma eleição disputada com elevado espírito democrático, onde todos os candidatos tiveram amplas possibilidades de apresentar seus planos de governo, e entendemos os resultados como normais.

HALISSON HABITZREUTER – A ACIBr é uma entidade não partidária. Então, independentemente do resultado das eleições, nós iremos trabalhar junto a prefeitura na defesa dos interesses da classe empresarial.

JUARES GRACZCKI – Na avaliação geral, tínhamos mais opções, entre os quais alguns novos nomes. Mas, uma parte da população optou pelo que achava melhor.

MICHEL GARTNER BELLI– Foi uma eleição muito limpa, devido ao curto prazo de campanha e a conscientização da maioria das pessoas sobre compras de voto. Com isso, o resultado foi o do trabalho que os candidatos fizeram ao longo de suas vidas pública e privada.

Qual será a postura de sua entidade em relação à nova administração?

ADEMIR JOSÉ PEREIRA – Nós, do setor da construção civil, já conversamos com os candidatos eleitos (Jonas e Ari), nos colocando à disposição para ajudar em tudo que for preciso para melhorar nosso município, porem estaremos alertas para também cobrar o que for necessário, pois indiretamente participamos do Concidade, que está revendo e atualizando o novo Código de Posturas do município, para termos melhor qualidade nas construções de nossa cidade.

EVANDRO CARLOS GEVAERD – O OSBr, por ser uma entidade apartidária, terá a mesma postura que teve com as administrações anteriores, ou seja, de respeito e espírito colaborativo, desenvolvendo ações para tentar acompanhar a correta aplicação dos recursos públicos, esperando dos gestores uma atuação competente e honesta. Quando entender algum tipo de fragilidade nos processos administrativos da Prefeitura, informará ao prefeito, esperando dele uma postura firme para corrigir o que estiver errado, não havendo essa postura por parte do prefeito, encaminharemos essa demanda à câmara de Vereadores ou Ministério Público ou ainda ao Tribunal de Contas, como manda o Protocolo dos Observatórios Sociais.

HALISSON HABITZREUTER –A ACIBr irá trabalhar em favor da classe empresarial e da sociedade Brusquense. Assim, seremos parceiros do município e defenderemos as boas ações que tragam benefícios para todos os empresários e para Brusque. Da mesma forma, quando nos depararmos com práticas ou ações que vão contra a moral ou que não tragam benefícios para a sociedade Brusquense, seremos críticos e lutaremos por alterações.

JUARES GRACZCKI – Continuar trabalhando em parceria, dando sugestões,fiscalizando e cobrandofirmemente, quando necessário, odireito da população.

MICHEL GARTNER BELLI – Já fizemos uma reunião antes mesmo de assumirem, tanto com os vereadores quanto com o prefeito e vice-prefeito, para colocar a entidade à disposição para ajudá-los no que nos for possível, e também deixamos claro que iremos criticar caso haja necessidade. Pretendemos estar muito próximos à administração pública para poder passar a real necessidade de nossos associados.

 

Quais setores que, na sua opinião, deveriam ser os mais “socorridos” em 2017-2020?

ADEMIR JOSÉ PEREIRA – Naturalmente, vamos defender o nosso setor da construção, que necessita de um apoio total de nossas autoridades governamentais. Porém, acreditamos e precisamos olhar com bastante carinho para dois setores importantes para nossa população. Primeiro: o setor da saúde, que está bastante precário e com falta de remédios para atender a população mais necessitada. Segundo: o setor da segurança pública, pois pela falta de contingente policial estamos à mercê de pessoas sem escrúpulos que estão atacando e roubando nossas casas diariamente.

EVANDRO CARLOS GEVAERD –Melhoria na gestão pública, através da racionalização dos meios e recursos, bem como no melhor controle da qualidade do serviço prestado pela Prefeitura e melhorar a transparência.

HALISSON HABITZREUTER –Entendemos que todos os setores da economia necessitam de investimentos contínuos por parte do poder público, sejam estes diretos ou indiretos. Na nossa cidade entendemos que, dentro das limitações do poder público municipal, este deve trabalhar sempre com o foco no desenvolvimento da economia da cidade, tirando os entraves burocráticos e facilitando a abertura de novas empresas. Da mesma forma, a finalização de obras como a duplicação da rodovia Antônio Heil, na parte que cabe ao município, e o prolongamento da Beira Rio são obras essenciais.

JUARES GRACZCKI – Secretaria de Obras, que que se encontra abandonada, emaquinário novo sucateado. Saúde e educação, em algunspontos.

MICHEL GARTNER BELLI – Saúde e segurança. Não só Brusque, mas Nova Trento, Guabiruba, Botuverá e Vidal Ramos também precisam da saúde aqui de nossa cidade. Então, é necessária uma atenção especial. Quanto à segurança pública, as entidades já conseguiram uma vitória com muita insistência de aumentar o número de efetivo de policiais civis e militares, mas ainda é pouco. Será preciso batalhar mais para trazer uma escola de formação de policiais para nossa cidade.

 

Deixe sua opinião