Páscoa deve levar 113,2 milhões de brasileiros às compras

Uma pesquisa nacional realizada em todas as capitais do país revelou que 113,2 milhões de brasileiros devem ir às compras para adquirir produtos relativos à Páscoa. Isso representa 72% dos consumidores, que devem desembolsar, em média, R$ 195,52 com a data, pouco acima dos R$ 157 registrados para Santa Catarina.

O resultado da pesquisa mostra estabilidade. Entre os entrevistados, 35% disseram que vão gastar o mesmo valor do ano passado, 32% vão gastar mais e 25% querem gastar menos. Em média, a expectativa é de que os consumidores comprem seis produtos, presentando principalmente os filhos e cônjuges.

Apesar do grande número de pessoas a fim de gastar, a maioria busca a melhor compra. Para isso, 86% dos consumidores vai pesquisar preço antes de fechar o negócio. Os locais preferidos são os supermercados (73%), a internet (48%), e shoppings (43%). Os dados são da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil).

“O consumidor brasileiro vem aprendendo que para conquistar uma vida financeira saudável, o segredo é administrar bem o orçamento. Evitar comprar logo na primeira loja e buscar preços que caibam no bolso são atitudes inteligentes. Outra dica é se planejar com antecedência, usar a internet para pesquisar e só tomar decisões depois de ter comparado os preços praticados em vários lugares”, orienta a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.

Questionados sobre a forma como planejam pagar suas compras de Páscoa, 78% dos consumidores disseram que farão à vista, seja em dinheiro (66%) ou no débito (28%). Outros 43% irão pagar a prazo, sendo que 20% usarão o cartão de crédito em parcela única, enquanto 23% preferem o cartão de crédito parcelado. Dentre os que optarão pelo parcelamento, a média será de quase quatro prestações.

“Mesmo que a economia venha se recuperando de forma mais lenta do que o esperado, as vendas nesta Páscoa podem aquecer o varejo. Esse é o momento de o setor investir em promoções para atrair os consumidores, de olho naqueles que pretendem comprar mais e, sobretudo, nos que ainda não se decidiram “, avalia o presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior.

Considerando aqueles que não pretendem ter despesas relacionadas a presentes ou ovos de Páscoa e chocolates, 23% disseram que irão priorizar o pagamento de dívidas. Já 21% mencionaram que estão desempregados e, por essa razão, não devem sair às compras. Há ainda os que não gostam ou não têm o costume de presentear na Páscoa ou mesmo comemorar a data, o que correspondem a 16% dos entrevistados da amostra.

Deixe sua opinião