O problema do Brasil é o brasileiro

O Brasil passa por um momento onde nunca se falou tanto da vida política. Esse processo é essencial para a democracia brasileira, mas o cidadão deve lembrar que política não se resume apenas a partidos políticos, ou ao congresso. Por trás dessa palavra a todo uma origem baseada no convívio em comunidade.
A palavra política, é derivada do grego “politeía”, que significa cuidar da “polis”, em outras palavras da comunidade, portanto política é toda e qualquer ação que interfira na vida da comunidade.
É comum de ouvirmos semânticas negativas sobre política, mas é preciso tomar cuidado pois esse pensamento pode afetar a convivência decente e saudável em conjunto.
O ausente nunca tem razão, desde os mais antigos dos tempos a uma divisão de afazeres que moldam o todo do pais. O mesmo só funciona quando as classes sociais e trabalhistas estão cooperando. Quando o cidadão percebe que o mesmo é uma pequena peça de um grande quebra cabeça chamado Brasil.
O problema do Brasil não são somente os políticos. O problema do Brasil é o brasileiro. As ações éticas que você projeta na rua, trabalho etc., influenciam a ética em um todo. O problema é muito maior e não se resume a um ou dois homens.
Quando Aristóteles afirma que o homem é um ser político por natureza, ele quer dizer que o homem é um ser que necessita de coisas dos outros, e busca na comunidade a completude, portando é um animal político. As ações individuais projetam uma cadeia que afetam toda a estrutura de um país, até o mesmo o gari possui um papel fundamental na infraestrutura brasileira.
A política está estreitamente ligada ao poder, principalmente o poder do homem sobre outro homem, sobre a capacidade que A tem de influenciar B, logo é uma profissão que carece de uma moral particular, e de um senso de justiça quase sobre-humano. O indivíduo que carrega um cargo dentro de uma prefeitura, ou demais instituições tem o dever moral de ser um subordinado do povo, visto que o mesmo é o seu “chefe”. É preciso que o seu poder seja castrado, para que não se torne uma espécie de semideus digno de um culto. E suas decisões não devem somente favorecer um grupo especifico, visto que o grupo social com maiores indivíduos na maioria das vezes é o que ganha a eleição.
Portanto é impossível ficar fora da vida política, visto que essa faz parte da natureza humana. Todo ato errôneo, seja ele o menor que for, até mesmo roubar uma caneta do trabalho, ou jogar lixo pela janela do carro, é um ato de corrupção, e não o difere do político que você critica em Brasília.

Guilherme Battisti Borba

Deixe sua opinião