“O Maior Problema Que Os Trabalhadores Enfrentam é o Calote De Alguns Empresários”-ANÍBAL BOETTGER

Em entrevista exclusiva ao JORNAL EM FOCO, Aníbal  Boettger , Presidente Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Fiação, Malharia, Tinturaria, Tecelagem e Assemelhados (Sintrafite) de Brusque, fala sobre 2017,  possíveis fechamentos de empresa, trabalhadores, e inclusive uma polêmica envolvendo um secretário da prefeitura.

 

A indústria têxtil é uma das que mais sofreu rasteiras nas primeiras décadas do século XXI. Qual a realidade enfrentada pelos trabalhadores têxteis de hoje, segundo a sua visão como sindicalista operário?
A maior dificuldade enfrentada hoje é o calote por parte de alguns empresários. O Sintrafite tem buscado por meio judicial a cobrança dos valores devidos aos trabalhadores e ao sindicato. Esse é o grande dilema: quando se depende do Judiciário, e diante do grande volume de processos que temos nas duas varas da Justiça do Trabalho em Brusque, um processo desta natureza demora até 90 dias para que aconteça a primeira audiência. E pior: alguns empresários formulam proposta de parcelamento, cumprindo só o pagamento da primeira.

 

Pra nossa surpresa, a Somelos, empresa portuguesa considerada modelo de gestão, está com os salários atrasados há 60 dias: salário mensal, 13º salário, férias, FGTS… Tivemos reunião terça-feira (24), a empresa está sem atividades. Na próxima segunda-feira (30), terá assembléia para definir se os trabalhadores vão entrar com ação de rescisão de trabalho direta ou a empresa vai se manifestar sobre o pagamento dos valores devidos.

O fechamento das convenções coletivas de trabalho também estão mais difíceis de fechar em relação às convenções do passado?
Há um quadro de crise no setor têxtil pintado em nível nacional. Mas, estou convicto de que o setor tem condições sim de repassar reajuste real aos trabalhadores. A nossa próxima campanha de reajuste salarial será tratada em uma assembleia para discutir o rol de reivindicações com o sindicato patronal, agendada para 12 de março.

Hoje, o Sintrafite tem mais associados ativos ou aposentados? Quantas pessoas são atendidas atualmente pelo sindicato?
Temos mais associados ativos do que aposentados. No total, são 11 mil associados ativos e cerca de 3 mil aposentados que continuam contribuindo e usufruindo das vantagens que o sindicato oferece para ele e seus dependentes, esposa e filhos até 16 anos de idade. Atendemos, portanto, cerca de 40 mil vidas.

Quanto custa para manter por mês uma entidade como o Sintrafite, com todas as vantagens que ela oferece aos seus associados e dependentes?
Para manter atendimento às 40 mil vidas ligadas ao Sintrafite, o associado da ativa para mensalidade de R$ 60,00, descontada em folha de pagamento, enquanto o aposentado paga R$ 30,00 mensais diretamente na sede do sindicato. O grande problema financeiro enfrentado pelo Sintrafite é o não repasse das contribuições dos trabalhadores da ativa por parte de algumas empresas. Alguns empresários se apropriam destes valores, assim como dos valores que os trabalhadores têm descontados em folha referentes às compras em medicamentos. Se não fosse isso, o Sintrafite teria receita mensal de R$ 800 mil por mês. Infelizmente, isso nem sempre acontece, e por causa disso projetos importantes têm que esperar para serem realizados.

Recentemente, você fez críticas nas redes sociais a um secretário municipal que cobrava de seus empregados e não repassava as verbas ao Sintrafite. Até que ponto esta prática pode ser considerada comum ou rotineira em Brusque?
Quando tomei ciência através da imprensa de que João Beuting, um diretor da Favo Malhas, foi nomeado para o cargo de secretário de Desenvolvimento Econômico, fiquei perplexo. Minha avaliação enquanto representante dos trabalhadores e cidadão que conhece este empresário, é de que ele não tem moral para assumir uma pasta tão relevante. Porque demite trabalhador e não paga, não recolhe FGTS, não recolhe Previdência Social, se apropria de valores que não são dele. São mais de R$ 1 milhão devidos aos trabalhadores por sua empresa, tivemos que penhorar uma máquina para conseguir cobrar.

Assista a declaração:

 

Por que este ano o Sintrafite não está distribuindo o material escolar aos associados e/ou aos seus dependentes que estudam?

Temos várias empresas que fecham suas portas. Estas empresas devem ao Sintrafite mais de R$ 3 milhões. Ou seja, estes são recursos devidos aos nossos associados.

Assista entrevista exclusiva completa :

(Por José Dutra e Saulo Adami)

 

Deixe sua opinião