Novos começos

Para aqueles que respondem conscientemente ao ritmo constante da evolução, a mudança é essência da vida, uma convocação para sermos plenos. Mudar é desafio: alivia, frustra, ameaça, entristece ou alegra. Acima de tudo, obriga-nos a crescer. É o mecanismo através do qual a natureza nos garante a evolução e o modo como somos chamados de volta para casa.

Mudar é desfazer ilusões sobre nós e os demais. Quando aceitamos a mudança, ela catalisa nossa vida, amplia nosso conhecimento e faz com que nossa perspectiva passe do medo à afirmação da vida. A mudança anuncia-se com um nascimento, uma morte, um emprego, um sucesso ou fracasso, sem aviso prévio muitas vezes. Se observarmos melhor, veremos que ela é a única constante da vida, pois toda natureza está num contínuo processo de nascimento e morte.

Estamos enganando a nós mesmos quando tentamos aprisionar a vida e imobilizá-la no seu estado de permanência. Vivemos no sonho de ontem que se torna manifesto, sendo que amanhã veremos os resultados daquilo que somos hoje. Travam-se verdadeiras guerras em todos os setores da vida humana, quando as crenças do passado são desafiadas por mudanças no presente.

Geralmente, tomamos decisões julgando a situação e consultando o passado para saber o que devemos mudar e como fazê-lo. Porém, se continuarmos a conduzir nossas vidas estritamente dentro dos limites ditados pelo nosso passado nada de novo entrará nelas. Ao parar de julgar, ou seja, aplicar padrões exclusivamente baseados no passado, poderemos olhar diretamente para o que está acontecendo e ao voltarmos para essa outra realidade dentro de nós, que não está presa a experiências antigas, teremos um novo entendimento, inclusive o de que criamos nossa própria realidade.

Quando observamos os enormes desafios de nossas vidas e dos tempos, vemos que vale a pena empreendermos uma investigação séria sobre a possibilidade de sermos de fato criadores, o que se encontra além da personalidade, o Eu Verdadeiro, sempre existiu. Certamente o tipo de vida que estamos vivendo hoje nos proporciona oportunidades de crescimento e contribuição, portanto tem uma razão de ser.

Cada um de nós vive em meio a muitas realidades e exerce a capacidade de criar dentro de todas elas. Temos a experiência de fazer escolhas baseadas em predisposições, necessidades pessoais, preferências e motivos inconscientes. Essas escolhas criam nossas realidades.

Também vivemos contextos nos quais desempenhamos um papel. O segredo é compreender que somos os criadores e não os filmes que criamos. Não somos nossas carreiras, nosso dinheiro e nossos relacionamentos. Os papéis vêm e vão. Nós os criamos porque eles oferecem cenários perfeitos para explorar e aprender, acelerando nosso processo evolutivo, atraindo todos os atores de que necessitamos para o drama, inclusive inimigos que espelham o que há dentro de nós.

JeanineWandratsch Adami

Deixe sua opinião