Nível nos sistemas isolados do Samae Brusque é crítico, aponta diretor geral

O Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae) de Brusque comunica que a estiagem prolongada que está ocorrendo em toda a região continua a trazer prejuízos para o tratamento e abastecimento de água potável no município. Sobretudo nas regiões periféricas, como os bairros Dom Joaquim, Zantão e Ribeirão do Mafra, onde o serviço é provido através de sistemas isolados.
Conforme a autarquia, esses mesmos sistemas encontram-se praticamente secos em decorrência do período prolongado sem chuvas. O diretor geral do Samae, Dejair Machado, pede que a população economize água durante a intempérie e garante que tudo o que pode ser feito pela empresa municipal já está sendo realizado para diminuir os efeitos da seca.
“Nós estamos com medidas emergenciais que vão desde manobras do abastecimento nos pequenos sistemas, abastecimento de reservatórios com caminhões pipas, entre outras medidas paliativas em função da estiagem nunca vista, tão prolongada, como estamos sentindo agora”, enfatiza Machado.
Ainda segundo o diretor do Samae Brusque, não há previsão para que as chuvas retornem de maneira significativa para a região. “Estamos cientes da falta de água em algumas regiões. Reiteramos para que a população economize o máximo que puder, até que a situação normaliza”.
O diretor da Defesa Civil de Brusque, Carlos Alexandre Reis, pontua que não há previsão de precipitações para o município até domingo (19) a noite, quando deve chover abaixo de seis milímetros. Porém, a quantia não será suficiente para reverter ou amenizar o quadro existente na cidade. “Pros próximos 18 dias a previsão é de que a estiagem continue”, afirma Reis.

Deixe sua opinião