Natal ajudará comércio catarinense a retomar o fôlego, mostra pesquisa da Fecomércio SC e FCDL/SC

Quase 80% dos consumidores pretendem pesquisar preços para garantir melhor custo/benefício no presente

Data mais esperada do ano pelo varejo, o Natal será mais uma oportunidade para o varejo catarinense retomar o fôlego depois de meses de resultados negativos. De acordo com a pesquisa de intenção de compras realizada pela Fecomércio/SC e Federação das CDLs de Santa Catarina (FCDL/SC), o catarinense gastará, em média, R$ 446,43, o que representa 6,5% a mais do que no ano passado (R$ 419,18). Embora a expectativa de gastos seja maior, o ganho real para o empresário será tímido se descontada a inflação de 7,87%.

Redução da massa salarial, retração de crédito e desemprego crescente são fatores para que o consumidor adote uma postura mais contida na hora das compras. “O Natal deste ano será um reflexo do ânimo da economia brasileira: mantém-se a tradição de presentear, mas com itens mais econômicos. Teremos uma injeção nos próximos dias, já que as famílias terão mais tempo para comprar com os horários estendidos, os lojistas renovaram seus estoques e o 13º será uma renda extra para impulsionar as vendas”, garante Bruno Breithaupt, presidente da Fecomércio/SC.

O cenário econômico também influencia o comportamento do consumidor, como lembra Ivan Tauffer, presidente da FCDL/SC. “A troca na presidência da República tem alimentado a esperança do catarinense por dias melhores. Aliado a isso temos o fato de que o panorama estadual é mais sólido do que em outras administrações país afora, dando especialmente ao servidor público mais garantias de ter o salário em dia. Essas circunstâncias provocam no consumidor a volta gradativa da segurança para fazer estas compras”, observa o líder lojista.

De acordo com a pesquisa, a percepção sobre a própria condição financeira em relação ao ano anterior está bastante equilibrada: 33,7% apontaram que a situação permaneceu igual, 33,2% declararam estar pior e 32,9% afirmaram que estão em condição melhor.

Comportamento de consumo

As roupas despontam novamente na 1ª posição do ranking de produtos preferidos (44,9%), seguidas por brinquedos (28,3%) e calçados (5,4%). Em relação ao local de compra, destacam-se o comércio de rua (77,5%) e os shoppings centers (13,6%). Em média serão comprados 4,47 presentes por consumidor. A compra de vários itens é uma das principais características do Natal e é um dos motivos para elevar o gasto médio no comparativo com outras datas comemorativas. Os mais presenteados serão os filhos (45,7%), pais (16,2%) e cônjuges (11,1%).

Para garantir o melhor custo/benefício 79,7% deve realizar pesquisa de preço. Este quesito é determinante na hora da compra (48%), à frente do selo de qualidade (31%) e o atendimento (16%). A maioria (70,3%) pretende pagar à vista para fugir do endividamento e dos juros dos cartões. O parcelamento no crédito (15%) e o pagamento no débito (5,5%) também foram mencionados.

Além do comércio, o setor de serviços é outro beneficiado nos dias próximos ao Natal. Pelo menos 34,7% dos entrevistados deve viajar no feriado, a maioria dentro do próprio estado (35,5%), o que ajuda a dinamizar a economia local. Os outros destinos são os estados vizinhos: Paraná (7,5%) e Rio Grande do Sul (5,1%).

A pesquisa foi realizada em novembro nas cidades de Chapecó, Lages, Florianópolis, Criciúma, Joinville, Itajaí e Blumenau para conhecer o perfil do consumidor, revelar as principais tendências de compras e orientar os empresários nas estratégias de fim do ano.

Deixe sua opinião