MTST ocupa triplex no Guarujá: “Se é do Lula, o povo pode ficar”

O MTST e a Frente Povo Sem Medo ocuparam por cerca de 3 horas na manhã desta segunda-feira (16) o triplex do Guarujá, imóvel que levou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a ser condenado a 12 anos e um mês de prisãopelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Segundo juiz Sérgio Moro, Lula teria recebido o triplex como propina da construtora OAS, bem como reformas no imóvel, num valor total de 2,4 milhões de reais, que teriam vindo de uma conta corrente mantida pela construtora para o partido, alimentado por dinheiro desviado de contratos da Petrobras e revelados pela Operação Lava Jato. Lula nega as acusações. “É uma denúncia da farsa judicial que levou Lula a prisão. Se o triplex é dele, então o povo está autorizado a ficar lá. Se não é, precisam explicar porque ele está preso”, disse Guilherme Boulos, coordenador do MTST e pré candidato a presidência pelo PSOL.

Cerca de 30 pessoas ocuparam o imóvel atribuído a Lula. Eles conseguiram entrar após pular um muro e quebrar a porta de entrada de banhistas. A ocupação que aconteceu por volta de 8:15 da manhã assustou os moradores do edifício que chamaram a polícia. Por medida de segurança, os moradores desligaram os elevadores e permanecem dentro dos apartamentos, o que é um transtorno para aqueles que precisam ir trabalhar, informou a moradora Renata Simões. “A manifestação é o que menos nos incomoda, pois é comum. Nossa preocupação é a invasão ao apartamento”, disse.

Manifestante identificado como Clayton conversa com chefe da segurança do edifício de dentro do triplex.
Manifestante identificado como Clayton conversa com chefe da segurança do edifício de dentro do triplex.

Um dos seguranças do edifício tentou negociar com um dos ocupantes, que se identificou como Clayton. “Esta porta foi arrombada, esse apartamento está lacrado por ordem judicial, pois ele foi colocado para leilão, o que vocês estão fazendo é um crime, estão cientes?”, perguntou o chefe da segurança. “Pois então a justiça entre com pedido de reintegração de posse”, respondeu Clayton em áudio recebido pelo EL PAÍS Brasil.

Boulos afirmou em vídeo divulgado no Facebook que o objetivo da ocupação é contestar a condenação de Lula. “Se o triplex é dele [do Lula], ele já disse mais de uma vez que o povo poderia entrar lá e ocupar. Estamos autorizados pelo proprietário. Pela primeira vez o MTST faz uma ocupação consentida pelo proprietário. Se o triplex não é dele, o juiz Sérgio Moro vai ter que vir se explicar por que prenderam o Lula por um apartamento que não é dele”, disse Boulos.

Os manifestantes saíram por volta das 11:20. “O MTST foi retirado do triplex, sob a alegação de flagrante, disseram que não precisavam de reintegração, e ameaçaram prender todos se não saísse no prazo, levando a uma intervenção do Choque. Totalmente arbitrário. Nenhuma novidade”, informou o movimento por meio de nota.  Ninguém foi preso. Apesar da denúncia dos moradores de que os ocupantes arrombaram um portão e a porta do triplex para entrar, Boulos disse que a ocupação foi totalmente pacífica e que nada foi quebrado. No final, manifestantes saíram gritando “Lula livre”.

Vista interna do triplex já sem os manifestantes
Vista interna do triplex já sem os manifestantes

Fonte: El País

Deixe sua opinião