“MEIO AMBIENTE SOMOS TODOS NÓS”, LEMBRA ENGENHEIRO

Logo no primeiro dia da nova administração municipal de Brusque, 2 de janeiro, uma máquina estava roncando nas proximidades da Ponte do Trabalhador, no bairro Santa Rita. O serviço de retirada de entulhos e da cobertura vegetal chamou a atenção da comunidade e dos veículos de comunicação. Para falar sobre a questão, o EM FOCO REGIONAL entrevistou o engenheiro ambiental Diego Furtado, membro do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (CREA) de Brusque.

 

Na sua opinião, por que a preservação do meio ambiente é encarada como tabu político?

Creio que se trate de um tabu pois os políticos sabem do poder da bandeira verde e da cobrança social para tal questão, porém este é um tema que os políticos têm pouco conhecimento e pensam que a questão ambiental servirá para gerar custos extras para a sua administração ou ainda impedir a realização de obras estratégicas a seu governo pela cobrança dos licenciamentos ambiental.

 

Como membro de conselhos e entidades que lutam pela preservação do meio ambiente você conhece alguma administração pública em Brusque que tenha de fato respeitado a legislação do setor?

A gestão ambiental do nosso município se iniciou no dia 1 de janeiro de 2009 com a gestão Paulo Eccel, onde efetivamente se estruturou a FUNDEMA com vários departamentos que davam suporte a gestão ambiental da cidade, setores que iam da educação ambiental, licenciamentos ambientais à fiscalização e telefone de plantão 24 horas para crimes ambientais.

Infelizmente, com as últimas trocas de gestões, é flagrante que a FUNDEMA vem sendo sistematicamente desestruturada através da sua perda de transparência administrativa, bem como perda de seus serviços básicos, principalmente de fiscalização que está extremamente comprometida.

 

Quais as providências que a população e os órgãos de defesa do meio ambiente podem e devem tomar, em casos de abuso ou do não cumprimento da legislação?

Para uma boa gestão ambiental em um município deve-se ter um órgão ambiental bem estruturado com liberdade de atuação e transparência administrativa.Uma população consciente e ativa na fiscalização do meio ambiente é de suma importância para a gestão ambiental da cidade, pois este se torna os olhos de um órgão ambiental que não pode estar em todos os lugares a mesmo tempo.

Porém, o órgão ambiental deve estar em harmonia com a população para bem atender estas demandas, caso contrário a população deve encaminhar a sua denúncia para outros órgãos que também possam cobrar da Fundação Municipal de Meio Ambiental, tais como o Ministério Público (MP), onde o cidadão pode fazer denúncias anônimas através do site do MP, o MP irá cobrar que o órgão ambiental atenda prontamente a denúncia realizada.

Meio ambiente somos todos nós, assim sendo como já se prevê na constituição federal brasileira, o meio ambiente é responsabilidade de todos e por isso devemos todos juntos fiscalizar e cobrar de todos o respeito a legislação ambiental que serve para bem gerir nossos

Deixe sua opinião