MAU ASSESSORADO III

Além do fato de a decisão liminar relegar segundo plano para a moralidade no trato da coisa pública, outra coisa chamou a atenção na decisão prolatada na data de hoje: Parece que o desembargador Eduardo Mattos Gallo Junior, que devolveu o cargo de Chefe de Gabinete a Ciro Roza, anda lendo a página 3 do Jornal em Foco.
Em sua decisão, o desembargador igualmente teceu críticas severas ao Advogado do ex-prefeito Ciro Roza, basicamente classificando-o como incompetente, declarando faltar tecnicidade processual ao procurador, pois este teria se utilizado de uma legislação já revogada para fundamentar sua peça.
Na decisão, o desembargador, ao decidir pela admissibilidade do agravo, assim escreveu: “Em que pese a falta de tecnicidade processual do procurador agravante, que se utilizou dos artigos da legislação revogada para fundamentar sua peça processual (…)”.
Já sabemos que não precisa se atentar a moralidade para ocupar cargo público na prefeitura de Brusque na atual gestão e pelo jeito não precisa dominar a técnica de seu trabalho também… Daqui a pouco não vai precisar nem ir trabalhar!!!

Deixe sua opinião