MAIS DE 200 MEDICAMENTOS SÃO OFERECIDOS GRATUITAMENTE À POPULAÇÃO PELA REDE MUNICIPAL DE SAÚDE DE BRUSQUE

Se não fossem os remédios oferecidos pela Farmácia Básica do Sistema Único de Saúde, as contas da família de Maria de Lurdes Peixer sofreriam um grande impacto. Usuária do serviço há mais de um ano, a moradora conta que a distribuição gratuita dos medicamentos é essencial para o seu dia a dia. “Eu não teria condições de pagar por esses remédios. É muito importante pra mim. Sempre fui bem atendida e nunca fiquei sem”, revela.
Maria é uma das milhares de brusquenses que retiram medicamentos gratuitamente nas farmácias das Unidades Básicas de Saúde e da Policlínica e contam com um catálogo de mais de 200 remédios. O número é ampliado constantemente devido aos crescentes investimentos realizados pela Prefeitura de Brusque no setor – apenas no ano passado foram cerca de R$ 4,5 milhões aplicados na compra dos medicamentos.
Atualmente a comunidade conta com o dobro de remédios que haviam em 2008. As farmacêuticas bioquímicas da Atenção Básica do município, Flora Willrich de Souza e Cleunice Maria Mariane, contam que o trabalho no local é intenso. “Somente na Farmácia Básica são atendidas mais de 300 pessoas por dia e estamos sempre atentas nas Unidades Básicas de Saúde para assegurar que tudo corra bem e que não faltem medicamentos”, explicam.
Apesar de todo o trabalho desenvolvido pela equipe de profissionais da Secretaria de Saúde, o atraso de fornecedores, a suspensão completa do fornecimento sob alegação de falta de matéria-prima e, por fim, a falta de interessados em fornecer determinados medicamentos nas licitações provocam sérios problemas no abastecimento do estoque.
Quando isso ocorre, o município recorre à Associação dos Municípios do Médio Vale do Itajaí, AMMVI, pois durante o período de carência a associação também faz a distribuição de determinados remédios.
De acordo com a Secretaria de Saúde, entre os medicamentos mais procurados estão os para pressão, gastrite, diabetes, colesterol, sedativos e antidepressivos. Com exceção dos tarjas pretas, todos os remédios podem ser retirados pela população nas Unidades Básicas de Saúde, só havendo a necessidade de ir à Farmácia Básica do centro para buscar os que estão em falta nas unidades.
COMO RETIRAR MEDICAMENTOS
Após a consulta via Sistema Único de Saúde ou sindicato, a receita deve ser preenchida corretamente e de forma legível para que seja possível fazer a retirada do medicamento. Somente maiores de idade podem fazer a retirada e é necessária a apresentação da carteirinha do SUS. Para evitar a falta de remédios, são entregues somente medicamentos suficientes para um mês de tratamento, sendo necessário voltar à farmácia para uma nova retirada.
EXIGÊNCIAS LEGAIS PARA PRESCRIÇÃO MÉDICA
– Nome do profissional de saúde prescritor e respectivo número de inscrição no Conselho Regional correspondente
– Nome e endereço do paciente
– Modo de uso
– Fórmula com os nomes das substâncias ativas, segundo a denominação Comum Brasileira (DCB), e respectivas dosagens
– Quantidade total desejada do produto
– Posologia (modo de usar o produto)

– Carimbo e assinatura do profissional de saúde prescrito.

Deixe sua opinião