LUTO NO PARQUE DAS ESCULTURAS

A artista plástica Tomie Ohtake morreu nesta quinta-feira (12), aos 101 anos. Ela estava internada desde 2 de fevereiro no Hospital Sírio-Libanês para tratamento de uma leve pneumonia. Tomie Ohtake foi uma das principais representantes do abstracionismo informal no cenário artístico brasileiro.
Além de pinturas e gravuras, a artista criou esculturas, muitas expostas em locais públicos. Entre tantas obras, uma delas compõe o acervo do Parque das Esculturas Ilse Teske, inaugurado em Brusque em abril de 2014.
A obra, única em mármore de grande porte rendeu a Tomie a homenagem durante o VI Simpósio Internacional de Esculturas realizado no município em 2006. Para expressar o luto, uma faixa preta foi colocada sobre a obra no Parque. A faixa ficará até domingo.
Tomie Ohtake é considerada a “dama das artes plásticas brasileiras” pela carreira consagrada, construída ao longo dos últimos cinquenta anos, e pelo estilo ímpar de enfrentar a obra e a vida, nas quais força e suavidade têm o mesmo significado. A fama conquistada, desde a década de 60, nunca modificou o desafio a que se propõe: o eterno reinventar.
A capacidade de renovação de Tomie está expressa nas diferentes fases de sua pintura e nas suas composições de gravura e escultura. É dessa intenção intuitiva permanente que brotam o frescor e o esplendor de sua arte celebrada pela crítica e pelo público até hoje, com sua vigorosa produção recente.

O velório da artista vai ocorrer nesta sexta-feira (13) das 8h às 14h no Instituto Tomie Ohtake, na Zona Oeste de São Paulo.

Deixe sua opinião