Iniciam debates para planejar futuro de terreno da prefeitura

Diversas entidades guabirubenses estiveram presentes na noite de segunda-feira, 2, no salão nobre da Prefeitura de Guabiruba para iniciar o intercâmbio sobre a utilização do terreno localizado na rua José Fischer, Centro da cidade, que é do poder público e será destinado as demandas estruturais do município. Na ocasião, foram ouvidos os mais de 40 participantes da administração pública, iniciativa privada, e do terceiro setor que elencaram algumas das necessidades: Centro de Eventos, Centro Administrativo Municipal, Complexo Poliesportivo, Quartel para o Corpo de Bombeiros, Fórum, Teatro, espaços para abrigar as entidades, Casa da Cultura Alemã e Italiana, além de outras estruturas que deverão levar em conta a sustentabilidade na construção.

O terreno possui mais de 160 mil metros quadrados e após o encontro para recolher as sugestões dos mais de dez representantes de entidades e setores, a Prefeitura em parceria com o Centro Universitário de Brusque – Unifebe irá desenvolver o projeto, o qual será apresentado em uma segunda reunião com o grupo. O prefeito Matias Kohler enfatizou que o encontro marca um longo processo que será desenvolvido e que o propósito não é criar expectativas, visto que serão várias as etapas a serem cumpridas. “Cumprimos com o objetivo de abrir o debate com as entidades na ocupação dessa área central, onde se pretende criar um espaço público com vários serviços e oportunidades. Foi uma noite proveitosa, pois temos a parceria e o apoio da Unifebe, por meio do departamento de Arquitetura e Urbanismo, que vai nos ajudar a modelar esse projeto, e era necessário que os responsáveis ouvissem da comunidade os anseios e o que se pretende fazer com essa área”, frisou.

A presidente da Associação Visite Guabiruba (Avigua) e professora da Unifebe, Rosemari Glatz, destacou o interesse comum entre os presentes. “Quando muitos sonham juntos, já não é um sonho, é um projeto. E hoje penso que foi feito o primeiro traço desse projeto”, pontuou ela, destacando a importância de ser abordado no encontro a necessidade desse ser um projeto da cidade e não de um governo para que seja dado sequência independente de quem vier a governar a cidade.

A administração municipal se comprometeu em verificar também as questões legais para que o projeto seja executado tal qual será definido pela comunidade. O vice-prefeito, Valmir Zirke, lembrou que o projeto da construção da Vila Germânica da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Guabiruba (APAE) ocorreu dessa forma. “Em determinado momento algumas pessoas tentaram modificar, mas não foi possível”, comparou.

Marcaram presença no encontro as seguintes entidades: Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Câmara de Vereadores, Associação Empresarial de Brusque (ACIBr) e Núcleo de Empresários de Guabiruba, Câmara de Dirigentes Lojistas de Guabiruba (CDL), Associação Visite Guabiruba (Avigua), Associação Artística Cultural São Pedro, Academia de Letras do Brasil de Santa Catarina – Seccional de Guabiruba (ALEG), Grupo Folklorístico Tutti Buona Gente, Sociedade Pelznickel, Associação de Ecoturismo, Preservação e Aventura do Vale do Itajaí (Assepavi), Vale dos Teares Convention & Visitors Bureau, Associação Catarinense de Intercâmbio e Cultura (ACIC), Coral Cristo Rei e Associação Cultural e Ambiental von Sternthal (ACAvS).

Deixe sua opinião