IGP capacita policiais para manipulação de reagentes e análise de drogas apreendidas

Nesta terça-feira, 12, uma segunda equipe de policiais militares concluiu o curso de capacitação de reagentes de droga no Centro de Ensino da Polícia Militar, em Florianópolis. Com formação de 8 horas, o curso ministrado pelo perito Gelso Luiz Borba Júnior incluiu ensinamentos teóricos e práticos que tornaram os profissionais de segurança aptos para manipular os reagentes e analisar os entorpecentes apreendidos nos crimes de menor potencial ofensivo.

Ao todo, 70 policiais militares, que fazem parte da sessão técnica dos batalhões do estado, passaram pela formação. A primeira equipe passou pelo curso nesta segunda-feira, 11. Estes profissionais são responsáveis pela elaboração de Termos Circunstanciado (TCO) de drogas e acidentes de trânsito.

A capacitação faz parte do Acordo do Cooperação Técnica 08/2019, firmado entre a Secretaria de Estado da Segurança Pública, o Tribunal de Justiça (TJSC) e o Ministério Público (MPSC), o qual trata dos procedimentos, por policiais civis e militares, da elaboração do auto de constatação preliminar de natureza e quantidade de drogas apreendidas.

Pioneira no Brasil, a iniciativa vai permitir um trâmite mais ágil de processos judiciais e, ao mesmo tempo, garantir aos técnicos do IGP maior dedicação nas perícias de casos complexos. Apenas em 2018, foram realizados cerca de 18 mil laudos em casos de crimes de menor potencial ofensivo. Com o convênio, as forças policiais passarão a contar com um kit que permitirá a realização do teste toxicológico no local da apreensão. Dessa forma, será possível constatar imediatamente, com o uso de reagentes, se a substância apreendida trata-se ou não de droga ilícita como maconha, cocaína, crack ou skank.

 

Deixe sua opinião