Homeopatia é alternativa mais barata e saudável para produtores catarinenses no tratamento de doenças dos animais

De forma diluída e em pequeníssimas doses, medicamentos naturais estão trazendo benefícios aos bovinocultores de Santa Catarina. Desde 2015 a Epagri entrou com o projeto de homeopatia como alternativa para o tratamento de doenças em animais. Hoje os produtores já colhem resultados significativos, como melhora na saúde do rebanho, aproveitamento de todos os produtos oriundos dos animais, entre outras vantagens.

De acordo com o médico veterinário homeopata da Epagri, Marcelo Silva Pedroso, a homeopatia cura problemas crônicos e agudos. “Toda doença, tanto aguda quanto crônica pode ser tratada com a homeopatia. A mastite é o principal problema da atividade e mais comum, mas uma enfermidade de pele, pneumonia, digestivo, diarreia ou qualquer outra pode ser tratada com homeopatia”, explicou.

Benefícios

Entre os principais benefícios da homeopatia estão a economia com remédios s e evitar o desperdício do alimento. “Os agricultores aderem inicialmente para baixar os custos, pois acabam gastando muitos recursos nas agropecuárias com remédios . Com a homeopatia, acabam os problemas de resistências aos medicamentos e, principalmente, evitam o residuo químico que fica no leite, carne e ovos, produtos que precisam ser descartados durante um tratamento com antibiótico”, alertou Pedroso.

No Sul do Estado, a segunda maior bacia produtora de leite de Santa Catarina, a técnica está se disseminando a passos largos entre os produtores. Mais de 160 alunos fizeram o curso de homeopatia ofertado pela Epagri e levara para 50 propriedades o tratamento, tanto na área animal quanto vegetal.

Qualidade na produção

O casal de agricultores Rita de Cassia e Leandro Esteves, do município de Forquilhinha, comprovou a eficácia da homeopatia. “Além de ser mais em conta, a gente observa uma melhora nos animais, tanto no comportamento, quanto nas questões de doenças. Anteriormente, quando tratados com remédios químicos, eles acabavam adoecendo depois de uma forma mais grave e tínhamos que buscar alternativas mais agressivas para a cura. Com a homeopatia as doenças não retornam”, comentou a produtora.

Com uma produção diária atual de 250 litros, o leite é a segunda principal fonte de renda do casal, seguida pela rizicultura, que antigamente era sua única atividade. “Iniciamos a bovinocultura em 2010, mas não tínhamos uma perspectiva longeva de permanecer na atividade, víamos que era algo limitado, só após entrarmos em uma cooperativa e conhecer a homeopatia é que acreditamos e conseguimos aumentar nossa produção”, lembrou Rita.

O leite que sai da propriedade do casal é vendido pela cooperativa cumprindo todos os padrões de qualidade exigidos pelo mercado. “Quando tivemos o primeiro módulo de bovinocultura no curso, começamos aplicar a homeopatia nos nossos animais e tratar o rebanho como um todo. A partir desse momento, diminuímos os antibióticos até chegar a zero. Hoje estamos apenas com o homeopático, então não temos nenhum resido de remédio na nossa propriedade”, garantiu Esteves.

Capacitação Com um laboratório de homeopatia em Lages, a Epagri conta ainda com sete veterinários especialistas e outros engenheiros agrônomos capacitados para atender no estado com cursos e capacitações. “A homeopatia é uma ciência reconhecida, ela funciona. Os produtores que se interessarem devem procurar diretamente nossos escritórios municipais da Epagri que nossos colegas vão realizar a orientação necessária”, explica o médico Marcelo Silva Pedroso.

Leite em Santa Catarina O leite é o terceiro produto no ranking de Valor Bruto da Produção (VBP) da agropecuária catarinense. O faturamento do setor passou de R$ 3,5 bilhões em 2017 e representa 13% de toda receita do agronegócio catarinense. Neste universo, o leite é a atividade agropecuária que mais cresce em Santa Catarina e envolve 45 mil produtores em diversos municípios do estado.

Em dez anos, o estado ampliou em 82% a sua capacidade produtiva, chegando a 3,1 bilhões de litros produzidos em 2016. No mesmo período, a produção brasileira aumentou em 32%. As expectativas são de um crescimento ainda maior para os próximos anos, focado principalmente no mercado externo.

Deixe sua opinião