Guabiruba apresenta trabalhos feitos com recursos do Edital do Fundo Municipal de Apoio à Cultura

A gravação de um CD, a publicação de um livro, a possibilidade de apresentar uma peça de teatro. Não importa a direção do sonho do artista guabirubenses. Importa a criatividade, a originalidade e o talento. Ah, também um bom projeto. Com isso, a Prefeitura de Guabiruba, por meio da Fundação Cultural e o Conselho Municipal de Cultura auxiliam a transformar o sonho em realidade com recursos do Fundo Municipal de Apoio à Cultura, que em 2016 destinou R$ 65 mil para este fim.

Na quarta-feira, 15, às 19h, no Salão Cristo Rei, Centro da cidade, Guabiruba conhece o resultado desses trabalhos. Além do lançamento dos livros A Múmia Elf em Quadrinhos (Álvaro Huber de Souza e Mario Ulisses Huber Lopes), Spleen (Méroli Habitzreuter), Conhecendo a História e Cultura de Guabiruba (Mayara Riffel) e do CD da Banda Daslebenslied Die Zeit Canções do Cotidiano (Sidinei Ernane Baron), os trabalhos já realizados como Histórias à Brasileira (Emiliano Daniel de Souza) e o espetáculo a Ilha Deserto (Jenifer Schlindwein) farão uma prestação de contas.

“O objetivo é que todos conheçam o resultado dos projetos contemplados com recursos do Fundo Municipal de Apoio à Cultura e com isso pretendemos incentivar novos artistas a submeterem seus trabalhos à banca examinadora. Já estamos preparando o próximo edital, que abrirá as inscrições no dia 20 de março”, afirma a superintendente da Fundação Cultural de Guabiruba, Jucilene Regina Schmidt.

Os trabalhos foram analisados por um trio selecionador formado pelo professor Álvaro de Azevedo Diaz, docente de Ensino Superior, com ênfase em Fotografia e mestre em Mídia e Conhecimento. Integraram o grupo ainda a fotógrafa Karina Zen, especialista em Cor e Sergio Valle, formado em Administração Pública, fundador da empresa Vallezen Produções (PrismaCultural) e membro do Conselho Municipal de Cultura de Brusque.

Deixe sua opinião