Fiscalização e a criminalidade

Não há como duvidar que as escassas e fracas oportunidades (estudo, trabalho e lazer), decorrentes da má distribuição de renda, criam além de injustiças sociais, solo fértil para o nascimento e aumento da criminalidade.

A sensação de impunidade causada por uma legislação ultrapassada, pela morosidade da justiça, pelo incontável níveis de recurso e pela deficiência policial (preventiva, repressiva ou investigativa), somadas a um sistema carcerário falido, incapaz de recuperar ou melhorar qualquer ser humano, também agravam a criminalidade.

A corrupção dos agentes públicos é um fator de reflexos negativos nas mais diversas óticas, entre as quais, está o reflexo na credibilidade e respaldo por parte da população.

Conhecemos praticamente tudo o que pode gerar e alimentar a criminalidade, por meio deste conhecimento nos esmeramos em criar variadas formas de combate ao crime.

Lendo sobre esse variado arsenal de medidas de enfrentamento ao crime, uma coisa sempre me chama a atenção. As medidas que conseguiram resultados estatísticos positivos Na redução e no combate ao crime, podemos citar programas comunitários, horário mais restrito de funcionamento de bares, lei seca, escolas que abrem aos finais de semana, cursos profissionalizantes, presídios com regras claras e principalmente rígidas e sem superlotação, mais opções de lazer, escolas mais rígidas na educação (militares), entre outras, apresentam uma característica em comum sem a qual não ostentariam êxito: FISCALIZAÇÃO!

Atrelada a toda e qualquer medida eficaz de combate ao crime e evolução social, sempre está presente uma fiscalização séria e honesta, que é vista e principalmente sentida pela sociedade.

Não desmerecendo todas as iniciativas que ajudam ao desenvolvimento humano nas camadas mais desprovidas de tudo, mas o fato é que a fiscalização é o maior inibidor.

Entre um criminoso se arriscar em cometer ilícito em regiões pouco fiscalizada, e regiões que a ostensividade fiscalizatória do Estado se fazem presentes com eficiência, com certeza o criminoso escolherá o lugar menos fiscalizado.

A fiscalização é uma ferramenta mestra, que denota eficácia em todas as áreas em que é aplicada: presídios, trânsito, escolas, empresas, família, inclusive e principalmente, no combate a corrupção dos agentes públicos. Os resultados alcançados por uma fiscalização robusta, imbuída de seriedade, responsabilidade e comprometimento, é capaz de alcançar resultados difíceis de serem superados por outros métodos.

A sensação da fiscalização e da punibilidade são fundamentais para evolução de qualquer cidadão e de qualquer sociedade. Façamos a nossa parte, como pai, professor, policial, cidadão, etc. Só assim teremos um mundo melhor!

OTÁVIO MANOEL FERREIRA FILHO
Tenente Coronel PM Sub Cmt

Deixe sua opinião