Fecomércio SC apresenta resultados da Pesquisa Turismo de Verão 2017

Depois de uma temporada com números superlativos em 2016, o verão deste ano no Litoral Catarinense registrou fluxo intenso de turistas, hotéis e pousadas com alta taxa de ocupação, estradas, rodoviária e aeroportos movimentados. O resultado, porém, foi mais moderado do que o projetado pelo setor. Se para aqueles que estavam do outro lado do balcão a temporada foi aquém da expectativa, para os visitantes que circularam por aqui a experiência foi bastante positiva.

Na próxima segunda-feira (27), a Fecomércio SC apresenta os resultados da Pesquisa Turismo de Verão 2017 durante a reunião da Câmara Empresarial de Turismo, às 10h30min, no auditório Ilha de Santa Catarina no Sesc Cacupé, em Florianópolis. Os dados foram levantados com turistas e empresários de Florianópolis, Balneário Camboriú, Imbituba, Laguna e São Francisco do Sul, os cinco principais destinos catarinenses.

Após a apresentação da pesquisa será realizado um painel com a participação do presidente da Embratur, Vinicius Lummertz, o Secretário de Turismo, Esporte e Cultura de Santa Catarina, Leonel Pavan (PSDB) e o presidente da Câmara Empresarial de Turismo da Fecomércio SC, João Eduardo Amaral Moritz. O debate será mediado pelo professor Dr. Alexandre Biz.

“O ano de 2016 foi fora da curva, atípico, o melhor da última década. Portanto, o comércio, serviços e turismo se preparou para receber o mesmo volume ou até mais pessoas em 2017, mas o comportamento foi diferente do esperado, ainda assim padrão na comparação com a série histórica. O que observamos foi uma mudança no perfil do turista, expresso na classe social preponderante e no gasto médio menor. A desvalorização do dólar em relação ao ano anterior pode ter impactado na queda no número de visitantes e no poder de compra dos países vizinhos, sobretudo da Argentina, Uruguai e Chile, tradicionalmente responsáveis por uma boa fatia do turismo catarinense. Conhecer e avaliar o perfil e a demanda dos turistas são estratégias para melhor atendê-los e prospectar o retorno”, afirma o presidente da Fecomércio SC, Bruno Breithaupt.

O balanço da temporada traça o perfil socioeconômico do turista (sexo, faixa etária, estado civil, renda e origem), características da viagem (tipo de hospedagem, meio de transporte e duração da estada), gastos médios e a avaliação quanto à infraestrutura e serviços oferecidos no local de veraneio. Os impactos nas cidades também foram avaliados a partir do olhar dos empresários: contratação de temporários, novas estratégias de venda, variação do faturamento, ocupação dos leitos na temporada, etc.

A pesquisa estará disponível na versão digital no site da Fecomércio SC após a apresentação dos dados.

Deixe sua opinião