Fechado acordo do reajuste do mínimo regional Catarinense

Depois de muitas negociações, enfim os representantes dos trabalhadores e empresários fecharam o reajuste do Piso Regional de Santa Catarina, na última  quinta-feira, 2 de março, na quinta rodada de negociações, na Fiesc (Federação das Indústrias de Santa Catarina), em Florianópolis.

Foi dada a reposição salarial, que ficará em torno dos 6,8% nas quatro faixas, gerando valores de R$ 1.078 a R$ 1.235. As novas faixas do piso estadual acordadas serão encaminhados ao governador para elaboração do projeto de lei e, posteriormente, envio à Assembleia Legislativa. Atendendo ao pedido dos sindicatos, o governador encaminhará o acordo em regime de urgência.

E, por se tratar de uma iniciativa que já tem aval das empresas e dos trabalhadores, a proposta é que não sejam apresentadas emendas. Após aprovação na Assembleia, o documento volta para o governador para sanção. Transformados em lei, os novos valores serão retroativos a janeiro deste ano.

 

Segue os valores e categorias.

PRIMEIRA FAIXA, QUE PASSA DE R$ 1.009 PARA R$ 1.078

– agricultura e pecuária;

– indústrias extrativas e beneficiamento;

– empresas de pesca e aquicultura;

– empregados domésticos;

– indústrias da construção civil;

– indústrias de instrumentos musicais e brinquedos;

– estabelecimentos hípicos;

– empregados motociclistas, motoboys e do transporte em geral, exceto os motoristas.

— SEGUNDA FAIXA, QUE PASSA DE R$ 1.048 PARA R$ 1.119

– indústrias do vestuário e calçado;

– indústrias de fiação e tecelagem;

– indústrias de artefatos de couro;

– indústrias do papel, papelão e cortiça;

– empresas distribuidoras e vendedoras de jornais e revistas e empregados em bancas, vendedores ambulantes de jornais e revistas;

– empregados da administração das empresas proprietárias de jornais e revistas;

– empregados em estabelecimentos de serviços de saúde;

– empregados em empresas de comunicações e telemarketing;

– indústrias do mobiliário.

— TERCEIRA FAIXA, QUE PASSA DE R$ 1.104 PARA R$ 1.179:

– indústrias químicas e farmacêuticas;

– indústrias cinematográficas;

– indústrias da alimentação;

– empregados no comércio em geral;

– empregados de agentes autônomos do comércio.

— QUARTA FAIXA, QUE PASSA DE R$ 1.158 PARA R$ 1.235:

– indústrias metalúrgicas, mecânicas e de material elétrico;

– indústrias gráficas;

– indústrias de vidros, cristais, espelhos, cerâmica de louça e porcelana;

– indústrias de artefatos de borracha;

– empresas de seguros privados e capitalização e de agentes autônomos de seguros privados e de crédito;

– edifícios e condomínios residenciais, comerciais e similares, em turismo e hospitalidade;

– indústrias de joalheria e lapidação de pedras preciosas;

– auxiliares em administração escolar (empregados de estabelecimentos de ensino);

– empregados em estabelecimento de cultura;

– empregados em processamento de dados;

– empregados motoristas do transporte em geral.

 

Fonte: Força Sindical SC

Deixe sua opinião