Falsidade ideológica impede múltiplos de firmar contrato com as prefeituras

O Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizador (Gaeco) esteve em Brusque   para apreensão de documentos e telefones celulares na sede da empreiteira Múltiplos Serviços e Obras, de Brusque. A empresa de propriedade dos empresários Everson Clemente e Jackson Santana.

 

Os sócios são acusados pelo Ministério Público de Santa Catarina pelo crime de falsidade ideológica, suspeitando ter inclusive forjado dados de contratos assinados com prefeituras da região, na tentativa de burlar decisão judicial. O Gaeco também fez buscas nas prefeituras de Balneário Camboriú, Brusque, Piçarras, Porto Belo, Rio do Sul e São João Batista.

 

Esta não foi a primeira vez que o Gaeco fez busca e apreensão de documentos referentes à Múltiplos, a pedido do Ministério Público de Santa Catarina. Já em 26 de setembro do ano passado, em São João Batista, foram localizados documentos que compravam que Everson Clemente “poderia ter figurado indevidamente como representante da empresa” em licitações com o poder público municipal.  “No pedido formulado pelo MP sustenta-se que Everson,   figurava como sócio administrador da empresa, e ao qual, está sendo imputada ação penal, que tramita em juízo, tenha incluído um novo sócio no quadro societário e apenas se afastado formalmente de sua administração”, noticiou na época a Rádio Super 99,9 FM. Foi a forma que o empresário de Brusque encontrou para tentar “burlar medida cautelar” imposta em ação penal.

 

 

Deixe sua opinião