Empresários que podem ter se aproveitado da greve para se promover, serão investigados

Muitos deles utilizam redes sociais e grupos no WhatsApp para defender a intervenção militar e divulgar informações falsas.

“Empresários da região Sul também estão entre os apoiadores da greve. Entre eles, Emílio Dalçoquio, diretor afastado e filho do dono da transportadora catarinense que leva o nome da família. Em um dos vídeos gravados por ele em apoio aos grevistas o empresário autoriza que coloquem fogo nos caminhões da empresa se for preciso.

Emílio Dalçoquio é colaborador da pré-candidatura de Bolsonaro. Em nota, a empresa alegou que a opinião de Emílio é de cunho exclusivamente pessoal, mas admitiu que apoia a mobilização por uma nova política de preços de combustíveis.

O empresário catarinense Luciano Hang, dono de uma das maiores varejistas do país, a Havan, autorizou o uso do estacionamento de uma das lojas como ponto de apoio e e distribuiu comida para os caminhoneiros. O perfil da empresa no Facebook tem feito várias publicações em apoio à greve.

Luciano Hang é defensor da privatização da Petrobras e da intervenção militar, pauta que ganha cada vez mais força entre os grevistas, especialmente entre os caminhoneiros da região Sul. ”

Parte de uma matéria veiculada no site da Rádio CBN, na qual serviu como base para que o ministério público federal, determinasse que:

1. Instaure-se Notícia de Fato para apurar possíveis condutas ilícitas, praticadas
pelos citados na tabela anexa, consistentes na incitação ou propaganda pública de processos
ilegais para alteração da ordem pública ou social e também incitação à animosidade entre as
Forças Armadas ou entre estas e as classes sociais ou as instituições civis, previstos nos artigos
17 e 23 da Lei de Segurança Nacional;

2. Encaminhe-se a Notícia de Fato ao(à) procurador(a) responsável pela
distribuição no município para ciência e providências referentes à distribuição do feito a
procurador(a) da República.

DESPACHO DE AUTUAÇÃO E ENCAMINHAMENTO DE NOTÍCIA DE FATO

Outra varejista que declarou apoio aos caminhoneiros é a Lojas Becker, do Rio Grande do Sul, que possui 220 unidades.

Nos últimos dias, estão proliferando grupos de Whatsapp em defesa da intervenção.

No link abaixo é possível ler na integra o despacho:

NFs-Noticia-CBN

Conteúdo CBN

Deixe sua opinião