‘É uma pessoa muito família’, diz prima de Teori Zavascki

De Faxinal dos Guedes, no oeste catarinense, ao STF, ministro deixa imporante legado jurídico. Enterro será no sábado (21), em Porto Alegre

Ao falar do primo Teori, Ilonir Zavascki Teston é enfática: “é uma pessoa muito família. Fazia de tudo para manter unida”. Ela confirma a fama de sério e estudioso do ministro e diz que ele sempre foi assim. Mesmo perdendo o contato após o primo virar figura pública, ela diz que ele nunca deixou de ser atencioso. O corpo será velado nesta sexta-feira (20) no Tribunal Regional Federal de Porto Alegre. O enterro será no sábado (21).

Teori saiu ainda jovem de Faxinal dos Guedes, no Oeste catarinense, para estudar em Porto Alegre. “Naquela época era muito difícil, mas o pai dele tinha mais poder aquisitivo. Comprou um apartamento para ele lá”, conta. Ela lembra que quando se tornou juiz federal, a família enviou uma carta parabenizando e ele carinhosamente respondeu, “sempre muito educado”.

Antes de ser ministro do STF, Zavascki atuou no STJ, era professor na Faculdade de Direito da UFRGS, foi advogado e juiz federal.

A prefeitura de Faxinal dos Guedes decretou luto oficial de três dias. Em nota, o prefeito diz que “Santa Catarina lamenta o adeus a um catarinense que orgulha todo o estado pela sua conduta ética, honrosa e transparente”

Federações publicam nota de pesar

A Fecomércio-SC e a FCDL emitiram nota de pesar pelo falecimento do ministro do STF, Teori Zavascki.

“Zavascki honrou nosso Estado e contribuiu para a construção de uma sociedade mais ética e transparente ao longo de sua carreira jurídica”, escreveu o presidente da Fecomércio, Bruno Breithaupt.

“Em seu currículo permanecerão momentos marcantes para a política e o judiciário brasileiro”, diz a nota da FCDL.

Deixe sua opinião