DIRETOR GERAL DA LAMIA É DETIDO NA BOLÍVIA

Diretor geral da LaMia, Gustavo Vargas Gamboa, foi detido hoje (6), na Bolívia. O jornal “El Deber” informou que outros dois funcionários da empresa também foram detidos e levados com Gamboa, à sede da procuradoria de Santa Cruz para depor.
A direção geral da Aeronáutica Civil da Bolívia confiscou documentos da empresa, e seus escritórios estão interditados. A empresa é investigada pelo acidente que vitimou 71 pessoas, entre elas o time de futebol da Chapecoense, e deixou seis feridos.
A agência de notícias Efe informou que detenções aconteceram na véspera de uma reunião, em Santa Cruz, de autoridades judiciais de Bolívia, Brasil e Colômbia que investigam a tragédia. O governo boliviano encontrou indícios de irregularidades no funcionamento e nas operações do avião da LaMia, afirmou o ministro de Obras Públicas e Serviços, Milton Claros, que suspendeu a licença da companhia aérea, demitiu altos funcionários da empresa, e iniciou uma investigação quanto a procedência dos controladores de voo. do país.
O piloto Miguel Quiroga, morto no acidente, tinha mandado de prisão em aberto por ter desertado da Força Aérea.
Segundo o sobrevivente Erwin Tumiri, Quiroga não alertou aos passageiros sobre a emergência nem a falta de combustível. Funcionária da Aasana (Administração de Aeroportos e Serviços Auxiliares de Navegação Aérea da Bolívia), Celia Castedo Monasterio disse ter alertado a LaMia de que o combustível do voo da Chapecoense era “insuficiente”.
Temendo por sua vida, pediu refúgio em Corumbá, Mato Grosso do Sul. Afirmou que não tinha autonomia para impedir a decolagem.

Deixe sua opinião