Decifrando o Economês : “Nós e os excessos financeiros do final do ano!”

Chegamos ao final de mais um ano, um ano onde nunca se comentou tanto em corrupções, falcatruas, milhões em malas, reformas aprovadas, aumentos sucessivos de combustíveis e gás de cozinha e assim foi…

Mas, falando especificamente em nós, simples mortais, que não somos políticos, juízes, jogadores de futebol badalados ou ganhamos megas aposentadorias, muitas vezes somos marcados por excessos, tanto nos comes e bebes como nos gastos! Compramos presentes para familiares e amigos, compramos roupas e acessórios para compor os looks das festas e, amigos secretos e seus gastos, trocar de carro, essas coisas. E como é tradicional, acabamos gastando em festas familiares, de amigos, da firma ou preparando a ceia de Natal e de Ano Novo. Tudo isso pesa muito no bolso, compromete o seu salário e também, o 13° Salário, além de, causar sufoco no mês seguinte.

Cada um sabe como, onde e quanto gastar, mas não custa, dar umas dicas para economizar nesse Natal:

Ceia de Natal:

1) Evite as compras nos supermercados na véspera! Os produtos ficam mais caros e o tumulto diminuirá o seu tempo, você vai gastar mais e não conseguirá pesquisar ou ir a um lugar que sabia que estava mais barato;

2) As ceias partilhadas com um conjunto com amigos – cada um leva um prato, uma bebida ou alguma coisa que seja necessária, pode ser uma opção;

3) Evite sair para jantar para jantar com a família. Prefira a ceia em casa, onde trona-se mais barato e mais aconchegante;

4) Não exagere e calcule bem o quanto cada pessoa vai comer e não ultrapasse muito a média. A mesa farta é bonita, mas estragar comida pode sair bem mais caro;

5) Procure fazer receitas com ingredientes que você já tem em casa, ou que sejam fáceis de achar, de época e baratos;

6) Não invista tanto em decorações, reaproveite aquelas que você já tem em casa;

7) Na decoração, criatividade sempre;

8) Nem sempre é preciso comprar roupas novas para o Natal ou gaste só o essencial, com roupas que servirão para as demais ocasiões;

10) Sobre as bebidas o ideal é calcular a média de bebida por pessoas e procurar comprar nos locais mais em conta. Jamais consuma bebidas alcóolicas e dirija, o Natal pode ser o mais caro de todos para você.

Lazer: Faça um bom planejamento para controlar gastos ou economizar. Prefira lugares mais baratos e evite os impulsos. Planejar as festas em termos econômicos nos dará um total estimado de gastos. Liste-as, se possível.

Ofertas: Não se deixe levar-se pelo clima natalino e comprar mais que o necessário.

Presentes: Use sempre a imaginação. O Natal é uma época em que podemos nos deixar levar pela ostentação e pela tradição. Por isso a velha pesquisa e a pechincha não farão mal a ninguém. Lembrancinhas também são bem-vindas. O campeão de vendas, deve ser de novo o celular, portanto pesquise e fuja dos juros do crediário. Cuidado com o uso do cartão (principalmente se for de crédito).

E para terminar, digo que, é com muita satisfação que desejo a todos os leitores e es desta coluna um Feliz Natal, que Deus proporcione muito amor, saúde, paz e felicidades a cada um de vocês. Que ao caminharmos para um Ano Novo, ele seja de muitas expectativas e realizações, incluindo na Economia desse país querido chamado Brasil. Até 2018!

Quer saber mais sobre Economia?

[email protected]

Professor Arilson Fagundes

Economista e Matemático

Deixe sua opinião