Campanha “Preciso Viver” busca chamar atenção das autoridades

Para lembrar o Dia Internacional do Câncer, em 8 de abril, a Rede Feminina Nacional de Combate ao Câncer lança a campanha “Preciso Viver”. O objetivo é chamar a atenção das autoridades para o cumprimento dos direitos dos pacientes e, assim, garantir que tenham acesso a um tratamento de saúde humanizado e tempestivo.
Em São João Batista, a Rede Feminina de Combate ao Câncer iniciou a campanha no sábado, 7, com panfletagem na praça Deputado Walter Vicente Gomes.
Já na segunda-feira, 9, a presidente das RFCC, Maria Elizabeth Zunino Booz, a dona Beta, participa da sessão da Câmara de Vereadores, onde terá um espaço na tribuna para falar sobre a campanha.
Para encerrar, na quarta-feira, 11, a Rede Feminina de São João Batista levará as 18 pacientes para um dia diferente, com palestras, dinâmicas e um almoço, em Guabiruba. Neste dia, outras Redes estarão junto à convite da presidente estadual Sonia Rieg Fischer.
A presidente da Rede Feminina, dona Beta, ressalta que é necessário garantir a aplicabilidade e eficácia da lei que estabelece prazo máximo de 30 dias para que as unidades do Sistema Único de Saúde (SUS) realizem exames, diagnósticos e executem procedimentos necessários à saúde dos pacientes. “Se faz necessário essa campanha para que possamos sensibilizar as autoridades e chamar a atenção da população para a precariedade dos atendimentos”, ressalta.
Diagnóstico precoce e atendimento ágil
O diagnóstico precoce do câncer e o início imediato do tratamento aumentam as chances de cura do paciente. As ações de conscientização da população também contribuem para o diagnóstico precoce, mas isso não é o suficiente para o enfrentamento da doença.
A população precisa, principalmente, de diagnósticos rápidos e eficazes para realizar os exames necessários, que devem ser feitos por profissionais capacitados. A infraestrutura dos locais de atendimento também influencia no atendimento.
Ao detectar o tumor, o paciente precisa ser direcionado ao tratamento adequado o mais rápido possível. Caso esse processo demore, a saúde do paciente fica comprometida.
Saiba quais os direitos do paciente oncológico
O paciente oncológico tem direito a retirar o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Caso não tenha, o parente mais próximo, por meio de comprovação documental, poderá fazê-lo. Além disso, tem direito ao PIS/PASEP, auxílio doença, aposentadoria por invalidez.
Também, o paciente tem o benefício de prestação continuada (BPC) da lei orgânica da assistência social (LOAS), cirurgia de reconstrução mamária, tratamento fora de domicílio (TFD) no SUS.
Os pacientes ainda são isentos de Imposto de Renda na aposentadoria, impostos na aquisição de veículos, IPI, IOF, ICMS, IPVA, IPTU, entre outros benefícios.

Deixe sua opinião