Caminhada objetiva sensibilizar a população no Dia da Mulher

Ação integra movimento internacional que reivindica direitos e é contra a violência

 Uma caminhada movimentará o centro de Itajaí na próxima quarta-feira (8), Dia Internacional da Mulher. Professoras e acadêmicas da Universidade do Vale do Itajaí (Univali) aliadas a ativistas e apoiadores da causa convidam a população a participar da ação de sensibilização pela garantia dos direitos das mulheres, em consonância com o movimento internacional “Dia sem Mulher”. O grupo sairá às 15h, do Marco Zero, e seguirá pela Rua Hercílio Luz, com manifestações artísticas e culturais.

A expectativa é de reunir cerca de 70 pessoas, entre homens e mulheres. De acordo com Ana Cláudia Delfini Capistrano de Oliveira, professora nos cursos de Direito, Relações Internacionais e no Mestrado em Gestão de Políticas Públicas da Univali e uma das organizadoras da caminhada, o grupo pretende destacar direitos já alcançados pelas mulheres e reivindicar outros que ainda precisam ser conquistados.

“A ação integra o movimento que ocorre em diversos países nesta data. Nossa intenção é chamar a atenção da sociedade, fortalecer e dar mais visibilidade às questões pautadas no Plano Nacional de Políticas para as Mulheres”, comenta a professora.

A docente ressalta que movimentos como esse vem ganhando força no mundo, a exemplo do “Nenhuma a menos”, em que mulheres da Argentina protestaram contra a violência de gênero que assola e dizima as mulheres no país. A iniciativa tornou-se uma campanha mundial contra a violência machista.

Em Itajaí, a caminhada conta com o apoio de diversas entidades, entre elas: a Univali, por meio dos cursos de Direito, Relações Internacionais e do Programa de Mestrado Profissional em Gestão de Políticas Públicas; o Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Univali; Conselho Municipal de Direitos da Mulher de Itajaí; Comissão da Mulher Advogada da OAB Itajaí; União Brasileira de Mulheres (UBM); Coletiva Feminista Itajaí e Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) – Itajaí.

Movimento internacional

O Dia sem Mulher deve ser abraçado por pelo menos 30 países, neste ano. O slogan do movimento diz: “Se nossas vidas não importam, que produzam sem nós”. No Brasil, as principais questões que serão tratadas são: a violência contra a mulher e a reforma da Previdência Social.

Deixe sua opinião