Aumento das temperaturas requer cuidado com animais peçonhentos

Com a chegada do calor e a proximidade das festividades de final de ano, se torna cada vez mais habitual as tradicionais roçadas e limpezas em terrenos espalhados por Brusque. Além disso, neste período, é normal que os cidadãos decidam organizar suas casas, galpões entre outros.
Ocorre que, junto do aumento das temperaturas, animais peçonhentos como aranhas, lagartas, escorpiões e cobras saem de seu habitat e estão mais presentes em áreas urbanas como montes de folhas, madeiras, entulhos e arbustos.
“Só no mês de Novembro registramos quatro acidentes por cobras, sendo dois moradores de Guabiruba, um de Botuverá e um de Brusque); cinco por aranhas e um por lagarta. Destes acidentes, tivemos um por cobra e um por aranha considerados grave”, ressalta Natália Cabral Marchi, enfermeira da Vigilância Epidemiológica de Brusque e integrante da equipe do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan).
Marchi explica que em caso de picada, a vítima deve procurar a emergência do Hospital Azambuja o mais rápido possível para avaliação médica e possibilidade, ou não, de recebimento do soro antiveneno.
“Diante dos números e considerando que um dos casos resultou no óbito de um morador de Botuverá por acidente com cobra, entendemos a importância de emitir um alerta a população quanto ao uso de botas ao realizar a limpeza dos terrenos, cuidados com as mãos ou mexer em entulhos e limpar os arredores das casas; também é salutar que elas evitem acúmulos de objetos/lixo nos locais”, finaliza.

Deixe sua opinião