Audiência na Alesc discute situação dos mamógrafos em SC

A Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa realiza nesta quinta-feira(24), às 10h, uma audiência pública para tratar da situação dos mamógrafos que atendem a rede pública de saúde em Santa Catarina. O evento acontece a pedido da presidente da Comissão de Saúde, deputada Ana Paula Lima, após a Vigilância Sanitária estadual divulgar dados de vistoria realizada em 2015. O relatório aponta que, do total de 101 aparelhos de mamografia que atendem a rede pública, apenas 38 estavam dentro do padrão adequado, 31, embora toleráveis para o uso, possuíam limitações técnicas e 32 estavam em situação precária e sem condições de uso.

Segundo Ana Paula, o objetivo é verificar a atual situação dos mamógrafos e o nível de confiabilidade dos exames. “Se há falha na realização do exame, um eventual nódulo cancerígeno terá dificuldade de ser detectado, especialmente na fase inicial e isso pode ser fatal e levar, desde a perda da mama, até à morte. O estado não tem o direito de brincar com a saúde e vida dessas mulheres. São necessárias providências imediatas para garantir que o exame seja eficiente”, diz Ana Paula de forma enfática.

A mamografia é um direito das mulheres. Santa Catarina possui, segundo o IBGE, 946 mil mulheres entre 40 e 59 anos, que deveriam realizar o exame anualmente. Destas, apenas 200 mil acessam o serviço que pode detectar o câncer em estagio inicial, quando o tratamento possibilita 95% de chance de cura. Praticamente 80% destas mulheres correm o risco de detectar a doença em estágio adiantado, que além de impor tratamentos agressivos, como retirada de mama, coloca suas vidas em risco.

Deixe sua opinião