“Assistência Social reabre albergue na Arena Brusque¨

A Assistência Social de Brusque reabriu nesta segunda-feira (12) o albergue localizado na Arena Brusque. O objetivo é ofertar para as pessoas em condições de vulnerabilidade social um espaço temporário para que possam se alimentar, cuidar da higiene, e passar à noite. Conforme explica o diretor responsável pela Secretaria de Assistência Social de Brusque, Odair Bozio, o local funciona das 19h às 7h da manhã. Após o café da manhã e já de banho tomado, os usuários são orientados pelo Centro de Referência em Assistência Social (Creas) para que possam buscar oportunidades de trabalho durante o dia. “Já tivemos alguns casos muito exitosos de pessoas que foram reinseridas na sociedade por meio desse trabalho”, comenta Bozio. Segundo ele, seis profissionais, entre educadores, assistentes sociais e psicólogos estão envolvidos diretamente no atendimento aos usuários do serviço. No fim do ano passado, o albergue chegou a ficar zerado, fruto também da migração de usuários para outras cidades. O tempo de permanência máxima no albergue é de cinco dias, período no qual o Creas trabalha para fazer o reencaminhamento dos usuários às famílias e|ou para as cidades de origem, dando todo suporte técnico e psicológico para reinserção social. Os usuários que utilizam o serviço são encaminhados ao albergue após abordagens sociais realizadas pelos próprios funcionários do Creas, que posteriormente estabelecem contato com as famílias dos mesmos a fim de resgatar os vínculos sociais”.

Nobre atitude, no entanto, há alguns (de muitos) questionamentos a serem realizados afinal, sabemos que há um custo para tal atividade então:

  • Quem vai ficar responsável pelos “passageiros do Albergue” durante a noite?
  • Quem vai fornecer a alimentação e os produtos de higiene?
  • O Creas, abre às 8 da manhã e os “passageiros” ficam no Albergue até às 7!
  • O IGP, abre às 8 da manhã e os “passageiros” ficam no Albergue até às 7!
  • O prazo para um RG (caso necessário) ficar pronto varia de 5 a 15 dias, o “passageiro do Albergue” só pode ficar 5!
  • E, o mais amplo questionamento  (de muitos) dos anteriores: se, eu disse se, o “passageiro do Albergue” NÃO quiser voltar para sua cidade de origem ou sair da cidade Berço da Fiação Catarinense e administrada pela “equipe” (?) “ “Des”Integração e “Im”Progersso, como fica?

Enfim, como dito, esses são apenas alguns de muitos questionamentos sobre tão “nobre atitude”!… Sei!

Deixe sua opinião