Agência projeta aumento de 6,38% no preço do gás natural para 2019

Na última quinta-feira (22), o gerente de regulação da Agência Reguladora de Serviços Públicos de Santa Catarina (Aresc), Silvio Rosa, anunciou que o gás natural deve ter um aumento de 6,38% no Estado a partir de 2019. O reajuste é apenas uma projeção do órgão e leva em consideração a subida do preço do produto em si e também do custo com transporte. Oscilações de preços internacionais, como o petróleo e o dólar, podem mudar esse quadro até janeiro, quando o novo preço será estabelecido oficialmente pela Agência.

Apesar da incerteza, o indicativo de aumento preocupa os consumidores, principalmente os industriais, que estão no início da cadeia. O ano de 2018 já foi marcado por aumentos, especialmente devido, à recuperação do preço do petróleo e a valorização da moeda americana. Em outubro, houve reajuste excepcional médio de 11,64%. Em julho, a média de aumento passou dos 20% (sendo 27% para a indústria). E em abril, de 5% (7% para a indústria).

O presidente da Câmara de Energia da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), Otmar Müller, disse que a elevação dos custos afeta a competitividade. “Sabemos dos fatores que podem levar ao aumento. Há em curso uma melhora do mercado, mas têm setores que ainda estão deprimidos e as empresas estão trabalhando com dificuldades em termos de rentabilidade”, disse o dirigente.

Novo contrato

Em 2019, termina o contrato da Companhia de Gás de Santa Catarina (SCGÁS) com a Petrobras. Assim, a empresa responsável pela distribuição no Estado deverá buscar um novo supridor, uma vez que a estatal brasileira está se afastando do setor. O temor das lideranças do setor produtivo catarinense é de que o novo contrato gere aumento no valor do insumo, já que a abertura do mercado implica em aderir a novas políticas de preços.

O edital da SCGÁS para compra de gás natural está aberto até 31 de janeiro. A partir desta data, a empresa catarinense vai negociar com os supridores um novo montante e um novo preço para o m³ de gás no período de 2020 a 2025.

Alternativa

A empresa norueguesa Golar Power vai construir um terminal de Gás Natural Liquefeito (GNL) no litoral catarinense. Segundo o diretor de desenvolvimento de negócios da empresa no Brasil, Edson Real, a previsão é de que a obra fique pronta no primeiro trimestre de 2021. A estrutura vai servir como base atracadora para navios que carregam o GNL e pode aumentar a oferta do produto em 15 milhões de m³ por dia.

Nesse sistema, o gás natural chega a SC de qualquer parte do mundo na forma líquida. Neste estado, o insumo é resfriado a -160ºC e ocupa 600 vezes menos espaço. A unidade, projetada para ser construída na Baía da Babitonga, em São Francisco do Sul, vai utilizar água do mar para “esquentar” o líquido e transformá-lo em gás novamente, num processo denominado regaseificação. O investimento é de R$ 380 milhões.

Deixe sua opinião