Academia de Letras e Prefeitura produzem Geloteca

Geladeira oferecerá ‘alimento para a mente’, população participará do projeto doando livros durante o mês de março e primeira quinzena de abril

Quem for à Prefeitura e aos Supermercados Remael, Macris e Koch durante o mês de março e na primeira quinzena de abril terá a chance de ajudar alguém com um alimento diferenciado. Trata-se de um projeto da Academia Batistense de Letras realizado com o apoio da Prefeitura de São João Batista, a Geloteca.  A professora Raquel Mazera Poffo, que é secretária da entidade, foi quem idealizou o projeto.Raquel explica que a academia atua há dois anos na área de fomento à produção literária e relata que a ideia do projeto surgiu com a confrontação de pesquisas que mostram que 44% da população brasileira não lê e 30% nunca comprou um livro.

“Nosso objetivo é melhorar a condição literária em nossa cidade, por meio da oportunidade de ler um livro sem custos financeiros, adquirindo assim o hábito da leitura e momentos de prazer”.  A professora acrescenta que ao permitirem o desenvolvimento de aprimorar o hábito de ler por meio de livros oferecidos por  empréstimos ou trocas, promoverão o desenvolvimento da capacidade crítica e criativa. “Dentre os principais benefícios que este projeto trará estão a melhoria na capacidade de expressão verbal das pessoas, seja no meio escrito, seja na forma oral; e o aumento da visão crítica e analítica uma vez que ler um livro incentiva a reflexão e o questionamento.

A secretária de educação, Roseli Tomasini acrescenta que assim que foram procurados pela Academia apoiaram a iniciativa. “Livro não é objeto de decoração, precisamos além de criar essa cultura de passar para frente o que já lemos,  permitirque outras pessoas possam ter acesso a leituras diversas e também dar a oportunidade de criarem esse hábito tão importante para a vida, a leitura”, avalia.

Como funciona

O projeto tem como metodologia o desenvolvimento de leitura livre que envolva todos, pois as pessoas usarão de um material que estará disponível para todos usarem e trocarem. O projeto seguirá as seguintes etapas: Mobilização e sensibilização sobre o projeto por meio dos meios de comunicação com a Campanha de arrecadação de livros, evento para inaugurar o projeto (Dia 18 de abril, às 9h, na Praça Capitão Amorim, no Centro da cidade)  e a manutenção da geladeira será feita por membros da Academia Batistense de Letras.

 

.

Deixe sua opinião