A Criatividade Tem Fome: Alimente-a

Tenho lido muitas coisas desde o tempo da faculdade sobre criatividade. Você sabe o que é isso? Ou melhor, você é criativo? Segundo o Houaiss criatividade é atributo quem ou do que é criativo; capacidade de criar coisas novas; espírito inventivo; criatividade artística.
Quando escolhi cursar Publicidade e Propaganda as pessoas me perguntavam: “você é criativa?” Não sei, vou descobrir, eu respondia. Durante 4 anos escutei, estudei, li e reli tudo sobre cri-a-ti-vi-da-de. Quem é da comunicação sabe do que estou falando e irá concordar comigo que a criatividade tem fome, então alimente-a.
Leia um livro, visite museus, estude história, conheça o mapa, visite um bar temático, converse com estranhos, escute histórias do seu avô, leia gibi, revista, jornal, livro científico ou romance. Não sei, te vira. Mas não deixe sua criatividade morrer de fome. Depois que ela morrer, não venha chorar, marcar consulta com psicólogo, entrar em desespero.
   Porque a criatividade te dá vida, energia e te impulsiona.
   Quando você tem um problema, precisa de criatividade para resolvê-lo.
   Quando você tem um jantar, precisa de criatividade para escolher uma roupa.
   Quando você tem um projeto de vida, precisa de criatividade para concretizá-lo.
   Até quando você prepara um prato vegetariano, precisa de criatividade para decorá-lo.
   A criatividade vai além da relação com o ócio criativo, e sim está ligada a todos os setores da nossa vida. A minha, a tua ou a do vizinho. E vamos combinar que uma pessoa criativa tem soluções para tudo de forma rápida e prática, mas para isso precisamos estar em constante reforço mental.
Instigue.
Alimente.
Cutuque.
Aperte.
Solte.
   Pratique a criatividade todos os dias. Quer uma dica? Busque você algumas formas para alimentá-la, mas não fique aí parado.
Eu já estou fazendo a minha parte, ou você acha que escrevo do além? Aqui tem muita prática todos os dias e estou apenas começando. Vamos lá? Vem comigo.
Por Jéssica Folchini

Deixe sua opinião