77% dos desempregados pechincham antes de comprar algo

Com uma nova realidade financeira, os desempregados estão adaptando as relações com o consumo. Segundo pesquisa do SPC Brasil e CNDL, 85% dos entrevistados pesquisam mais os preços antes de comprar, 79% aumentaram a disciplina nos gastos pessoais e da família, 77% estão pechinchando ao comprar algo e 72% migraram o consumo para produtos e marcas similares mais baratas. Essas atitudes tiveram um aumento ainda mais expressivo nas classes C, D e E.

O estudo indica também que os itens que mais tiveram cortes ou reduções fazem parte de gastos relacionados ao vestuário e lazer: compra de roupas, calçados ou acessórios (81%), almoço ou jantar fora e delivery (81%), saídas para bares, restaurantes ou baladas (77%), cinema, teatro ou outras atividades de lazer (74%), alimentos supérfluos (71%) e viagens (66%).

Na opinião da economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, as pessoas devem conservar bons hábitos mesmo empregadas. “Com o desemprego, a pessoa acaba sendo forçada a fazer cortes em itens supérfluos e a gastar de maneira responsável. No entanto, hábitos como pesquisa de preço e reserva financeira devem ser mantidos com a pessoa estando empregada ou não”, orienta.

Deixe sua opinião