3ª Maibaum de 1.250 quilos erguida na rótula do Imigrantes

Após seis meses sem a maibaum na rótula entre as ruas Imigrantes, Guabiruba Sul e Brusque, foi erguida com a força de 40 homens a 3ª árvore de maio na terça-feira, 1º, feriado do Dia do Trabalhador. Várias pessoas acompanharam o trajeto do eucalipto de 20 metros e 1.250 quilos – escolhido e cortado em novembro de 2017- que saiu da Pomerânia puxado por dois cavalos, passou pela Escola de Educação Básica Professor Arthur Wippel e seguiu pelas ruas 10 de Junho e Brusque até a rótula onde seria erguido.

Grupos de danças e a Orquestra Municipal acompanharam o percurso de caminhões, enquanto outros caminharam os aproximadamente cinco quilômetros entre o ponto de saída até o local de colocação da árvore. Das casas, guabirubenses acenavam e tiravam fotos. A árvore é trocada a cada cinco anos.

A tradição do maibaum foi idealizada pelos amigos Fabiano Siegel e Vandrigo Kohler em 2008 quando estiveram na Alemanha e viram os vários tipos de árvores de maio no país. Trouxeram a ideia para cá com adaptações. Eles explicam que a maibaum simboliza a força cultural do povo da cidade. “Sozinho você não consegue levantar ela, tem que ter mais pessoas, depende da união de forças e representa a organização e a união da comunidade”, pontua Siegel.  Vandrigo lembra que em 2008 a árvore tinha 16 metros. “Em 2013 aumentamos para 17 metros e em 2018 passou para 20 metros e 1250 quilos”, destaca.

A ação foi uma realização da Associação Artístico Cultural São Pedro com o apoio de empresas da cidade e da Prefeitura Municipal. O prefeito Matias Kohler enaltece as ações de iniciativa cidadã no município. “Além de preservar uma tradição, o maibaum simboliza a importância do trabalho em equipe onde a soma de forças se transforma em grandes resultados. Essa preservação surge de pessoas que se dedicam a este fim. Todos os envolvidos estão de parabéns”, declarou.

Deixe sua opinião