141 municípios de Santa Catarina têm taxa zero de homicídios

Dados foram divulgados pela Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP)

Números divulgados pela Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP) mostram que em 141 municípios de Santa Catarina o índice de homicídios é zero. Em outras 154 cidades do Estado, houve registro de assassinatos, sendo que em 78 delas ocorreu um homicídio, um percentual de 50,6%.

De acordo com o relatório organizado pela Gerência de Estatística e Análise Criminal da SSP, ocorreram em 2016, em números absolutos, 858 homicídios dolosos contra 827 em 2015, um incremento de 6,6% em relação ao ano passado. Os números são relativos ao período de 1º de janeiro a 21 de dezembro.

A taxa 100 de homicídios está em 12,4 por grupo de 100 mil habitantes, e embora configure nível de problema, não pode ser considerada alarmante. Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU) até 10 configura normalidade, entre 10 e 20, problema e acima de 20, endêmico.

As estatísticas também registram que 69,4% das vítimas possuíam antecedentes policiais e 67,6% dos autores tinham passagem policial. De acordo com o secretário da Segurança Pública, César Augusto Grubba, “o quadro geral em Santa Catarina apresenta números bem distanciados da realidade nacional, o que tem colocado nosso Estado em permanente condição de destaque”. Ainda segundo Grubba, desde o início do segundo mandado do governador Raimundo Colombo, Santa Catarina têm se preservado no final da tabela, com o melhor índice entre os estados da federação, destaca o titular da SSP.

Homicídios por região

Os crimes ocorreram com mais intensidade na região Norte, 238 no total. Na sequência vem o Vale do Itajaí, com 202 registros; seguido da Grande Florianópolis,140; Oeste, com 124; Sul, com 99 e Planalto, com 55.

Ainda segundo o secretário, toda a estrutura da segurança pública em Santa Catarina segue desenvolvendo os seus trabalhos com muito empenho, dedicação e competência. “O aumento no número de homicídios está relacionado a disputas e desavenças entre integrantes de facções criminosas, motivadas principalmente por questões ligadas a atividades do tráfico de drogas”, afirma Grubba.

Para o secretário, casos graves e de grande repercussão recebem prioridade para esclarecimento e conclusão, o combate ao tráfico de drogas está sendo forte, as investigações criminais estão mais ágeis, há operações policiais regularmente, o nível de integração entre as forças é bastante positivo e os resultados visando estabilização e redução de indicadores criminais são perseguidos permanentemente.

Grubba acrescenta que com as formaturas dos novos policiais civis, auxiliares do IGP e policiais militares, os efetivos serão reforçados, com perspectivas de mais produtividade em prisões e apreensões. “Com a chegada da temporada de verão e maior afluxo de turistas, a Segurança Pública desenvolverá a Operação Veraneio (OV), com medidas adicionais de reforço da infraestrutura e pessoal nas praias do litoral”, destacou o secretário. Na OV serão monitorados mais de 455 quilômetros de extensão divididos em 157 praias, além de 35 balneários e 17 estâncias hidrominerais.

Deixe sua opinião